terça-feira, 31 de março de 2020

Análise Financeira - Março/2020

A análise deste mês faz-se de um modo diferente. Eu vivi Março até ao dia 13, a partir daí, embora a trabalhar semanalmente de modo normal, a tempo inteiro, comecei a ter uma rotina muito diferente apenas casa-trabalho; trabalho-casa.

Então, tal como vos disse, este mês não fiz depósito na poupança, e tenho o dinheiro a balançar na conta à ordem. Mas há razões. Os meus vizinhos são na maioria pessoas idosas, que recebem as reformas na conta bancária e agora é muito difícil irem ao banco ou levantar os vales aos CTT. Mas precisam de continuar a comer, então para já deixo o que consegui poupar livre porque posso precisar de emprestar/dar a familiares e vizinhos.

A meta de 2020 era de 5.000,00€ em Dezembro (e eu agora já só espero que consigamos chegar todos bem ao natal), com Janeiro e Fevereiro, ficou em falta 4.201,56€.

Poupança:
Conta: 324,38€
Mealheiro 2€: 18,00€
Casa: 110,00€ (inclui 50€ de part-time e extra de ordenado)
Casa 2: 45,00€
Carteira: 7,20€

                  Total: 504,58€ [O que poderia significar que já só me falta 4.201,56-504,58=3696,98€]

Para já, não é contabilizado.
Podia ter chegado aos 600, mas paguei cotas profissionais este mês.

Compras/Gastos pessoas:
Brinco de prata: 9,00€ (queria uns brincos que desse para usar todos os dias no local de trabalho)
Peça pandora (signo): 25,00€
Telemóvel: 7,50€

                  Total: 41,50€

Gastos familiares:
Água: 17,12€
Gás: 27,50€
Luz: 55,47€
Nos/água n.º2: 4,17€ (a minha mãe pediu que lhe pagasse online, para evitar deslocações a meios públicos, depois arredondei-lhe a conta da soma das facturas e assumi o pagamento dos trocos.)

                   Total: 104,26€

Sim, paguei mais contas, e sim, nós continuamos a rodar as contas, mas este mês não sei o que houve, eu por exemplo paguei a factura da água de Janeiro logo no inicio do mês, e a minha mãe teve de pagar a factura de Fevereiro, no final do mês, também de água. Não sei como atrasaram a de Janeiro e como foram cruzar 2 facturas para o mesmo mês!

No que respeita à factura da luz, veja-se, por norma vem com limite de pagamento até ao dia 15 (portanto dá para entrar o salário e pagar normalmente), este mês veio com limite de pagamento de dia 2!!! dia 2 de Abril. Enfim... ainda gozam com as pessoas, face a tudo o que está acontecer. É que tal como a agua, a edp teve duas facturas pagas este mês, no inicio do mês até dia 15 pagou-se o mês de Fevereiro, e eu agora no final do mês paguei o mês de Março, porque lá está, tinha limite até dia 2... 

Notas finais:
Abasteci o carro no dia 05, com 63,98€ e sabem? final do mês e o deposito já passou o meio depósito, mas ainda durará uns bons dias... O que só prova que por vezes nos excedemos, precisamos de viver sim, mas por vezes não serão gastos que se podem controlar melhor? Por norma por mês gasto entre 90 a 100 euros, na pior das hipóteses poupei 36,02€. Mas confesso, preferia não os ter poupado. Que o que assola o mundo se evapore como que nevoeiro ... por favor.

segunda-feira, 30 de março de 2020

Suores Nocturnos

Eu acho que não tenho por aqui a ler-me ninguém ligado à saúde, mas nunca se sabe o conhecimento com que nos podemos cruzar nos blogs.

Já me aconteceu mais vezes, e à mais tempo, mas só a semana passada aconteceu em 3 noites, o que numa semana para mim já começa a ser muito.

Vou dormir normal, o meu quarto tem uma temperatura normal, não tenho excesso nem falta de roupa na cama e tenho os mesmos hábitos desde sempre. Mas...

Acordo a meio da noite muuito, mas mesmo muito suada, e numa zona muito especifica, as costas. O suor é tanto, que do incomodo acordo... e o que me alerta mais é o facto de suar nas costas... uma zona de acesso a qualquer um dos órgãos internos.

Não me vou enfiar no centro de saúde nem nas urgências da minha localidade, mas não deixa de me preocupar.

Já tive épocas em que me acontecia coisa idêntica, mas era tipo uma noite só, e associava a algum pico de febre ou coisa parecida, como pela manhã estava tudo bem e não tinha nenhum outro sintoma seguia normal, a questão é que agora em 6 noites, em 3 aconteceu...

O Dr. Google é um bocado alucinado e remete logo uma pessoa ao pensamento de que deve é já ir comprar um túmulo, ..., já aconteceu a alguém? Têm alguém conhecido que tenha passado por isto?

Esta brincadeira, só em horas de sono perdidas e em roupa para lavar já vai cara 😞

sexta-feira, 27 de março de 2020

Sobrinices

Ontem ao final do dia
(com as minhas sobrinhas em casa).
Tive a irmã bebe, minha afilhada ao colo, enquanto a adormecia.
A mais velha de um lado para o outro. Inquieta.
Sabe que gostamos dela, mas fica inquieta se não estou com ela.
Brincava com balões, de lá para cá, de cá para lá.

Venci a batalha. Adormeci a pequena.
E disse
"+++++++, vem cá à tia, senta aqui no colito"
Trazia um telemóvel verdadeiro, mas avariado, e para ela já de brincar, na mão.
Disse que estava a ligar para uma amiga dela, que se chamava Célia.

Estavam a falar de um casamento, o casamento da Célia (que tem 7 anos.).

Eu: - Boa, que giro uma festa de casamento, como se chama o namorada da Célia, é Alberto?
Sobrinha: - Não, não é Alerto não.
...

Não fossem as crianças e como seriam os nossos dias?

segunda-feira, 23 de março de 2020

23.03.2020

Resultado de imagem para melhores dias


Boa semana a todos/as.


Vamos acreditar.

Vamos esperar.

Vamos solidarizar.

Vamos parar.

Vamos acalmar. 

Vamos viver.

Vamos cuidar (sem tocar e sem ver).

Vamos vencer 💛.


Força para todos os que estão em casa em se manter lúcidos, coragem e cuidado para todos os que continuam a sair todas as manhãs. (como eu.)

(amarelo sim, que é a cor da medicina).

quarta-feira, 18 de março de 2020

Hoje, todos sabem que existem (mas sempre existiram)


Hoje venho falar-vos do outro lado, dos que estão ali, equipados até ao pescoço de boa vontade, de querer e fazer.
OS MÉDICOS.

Tenho uma pessoa importante na ala de Pneumologia de um dos hospitais de Lisboa. Tinha o sonho, quando as nossas vidas se cruzaram, de ser cirurgião, hoje é médico escalado para as viaturas de inem e médico de Pneumologia. 

É evitado o contacto telefónico, não vê, não atende, não lê e muito menos escreve... A vida é isto. Está longe de casa, da mãe, do pai, dos amigos... e de tudo o resto. De mim.

Em 2010, quando nos conhecemos tinha uns olhos de esperança. Vivia de noite. Era a escuridão que o fazia estar concentrado.

Hoje a esperança está nos meus, e nos de quem o conhece. Temos medo por ele, e pelos colegas com que se cruza pelos corredores.

Eu sei, ele está no meio do mundo dele, de exames específicos de uma área que ele quer dominar, as vias aéreas inferiores. 
Eu sei, ele estará bem e daqui a meses regressa às suas terras, onde descansa, onde se suporta quando chega e a quem o vê chegar.
Eu sei, por muito que se canse e que o próprio corpo comece a falhar, a cabeça vai andar sempre em redor do mesmo assunto, sempre em prol do bem dos outros.

Eles, os médicos, sabem o que são as cores do hospital, conhecem-nas e nem é pela tonalidade, é pelo tacto, de quando lá encostam para se preparar para confrontar as famílias, com palavras técnicas, que sabem que carregam findar de histórias familiares. Eles optam. E eu sei, eles amam o paciente como um avó, um pai, ou um irmão. Eu já vi. Já vi com os meus próprios olhos. E já senti. Há uns anos um enfermeiro disse-nos "não me recordo de família igual", e isso grava tão fundo, que não há nada que se possa fazer para esquecer. Eles, os médicos, estão lá todos os dias. A ver resultados, e a ver novamente, a pousar papeis e a pegar de novo para ler melhor e só depois concluir. Maioritariamente, eles sabem o que fazem. São responsáveis. Carregam semblantes, que quem vive pelo meio deles já os conhece, já os sente ao longe e já imagina as histórias "do dia".

Eu tenho um particular respeito ao médicos do Hospital dos Covões - Coimbra, que sem dúvida é um hospital do ser humano e aos do Hospital Universitário também de Coimbra. Dois hospitais do centro preparados para receber a COVID-19. Eu não sei o que foi que chegou ao mundo, se é doença, se é balanço na economia, mas seja o que for está a tirar-nos as pessoas de nós. De vários modos.

Li uma noticia à uns dois dias, que dizia que era impossível termos 331 casos, quando os médicos já apresentavam TANTO cansaço, que ou já éramos + de 4.000 casos ou os nossos médicos estavam muito mal preparados. Não sei se ri, se chorei. Ando sensível e irritada. Eles não estão mal preparados, eles estão, sim, horas a fio a tentar estudar o caso, a ver exames como quem os lê, a voltar a ver e a ver e a ver. Passam horas sem falar com a família, e quando as noticias chegam são de mensagens às 4 e 5 horas da manhã. Médicos em quarentena, sem protecções individuais ...  Não são eles que estão mal preparados, somos nós, os que ficamos de longe a olhar para eles, por eles, e acreditar que isto passa. Somos nós que não conhecemos os hospitais por dentro. Somos nós que ainda saímos à rua a pensar que isto é manobra de circo do governo chinês.

Não sou alarmista, mas estou cansada, precisamos ficar em casa pelo bem de todos, principalmente deles, dos médicos.

Em Lisboa só o conheço a ele. Não conheço as faces interiores daquele hospital, nunca quis entrar, mas conheço os dois de Coimbra que já mencionei, bem como o Hospital militar de Coimbra. Não, não vivo nos hospitais e não, não estou doente. Mas dos 3 hospitais de Coimbra tenho histórias, tenho rostos, memórias e cheiros.

As equipas médicas são pessoas como nós, só diferem numa coisa, enquanto nós choramos em pranto à porta das salas de internamento, eles choram quando entram e caem no chão ao fechar a porta de casa. Independentemente da hora.

Respeitem-nos, eles precisam de nós, e nós deles.

Quem é de Lisboa ou de centros com muito aglomerado populacional, não saiam de casa. Por favor respeitem.

(Não sei quando vou voltar a escrever. Pode ser amanhã, pode ser daqui a 2 meses. Não acreditem em tudo o que vêm. Quem tem doentes oncológicos, doentes cardíacos, doentes tensão arterial, fumadores - Não visitem!).

Vamos ser conscientes, hoje todos sabemos que eles existem, mas eles sempre existiram. E o código de honra deles, é igual ao teu quando te assumes no teu trabalho a fazer o melhor que sabes e que consegues.

Não os estou a defender, não a ele em particular, erros médicos existem, mas eu já vi morrer pelas mãos deles, e é por esse motivo que a cada dia que passa sei quem são e porque o são.

Sobre 2020, Março e a minha poupança

2020.

O inicio de uma nova década, tínhamos tudo para correr bem. Mas não correu. Ano bissexto. Novas oportunidades. E entra nas nossas casas e nas nossas vida uma calamidade mundial e generalizada.

Tinha/tenho uma poupança de 5.000,00€ para fazer até 31/12, tinha/tenho desafio mensais, para mim e para vós. Pessoalmente vou suspender. (para vocês, continuo a partilhar, pode haver quem consiga cumprir).

No dia 13 não fiz a transferência para a minha poupança (é sempre nesse dia). Esqueci-me. Mas talvez tenha sido o melhor. 

Não vou poupar (ou melhor, não vou colocar o dinheiro numa poupança que "não posso mexer", teoricamente posso, mas não quero), vou deixar o dinheiro livre na conta à ordem, por mim, pelos de casa, restante família e a minha comunidade de vizinhos. Alguém pode precisar. 

No fim de tudo isto, que espero que seja em breve, logo vejo ...

A vida é tão só isto... tamanha vulnerabilidade, que aos dias de hoje, nem um abraço permite. E logo eu, que de tudo o que possuo na vida, a única coisa a que dou importância é ao toque, ao abraço e à protecção que isso nos traz, aos pedacinhos interiores que assim se juntam.

A quem tem pessoas no estrangeiro, e que dificilmente conseguem voltar, por saúde, por restrições, por trabalho (angola tudo trabalha, sem casos, sem previsões... ), calma, a voz que se pode ouvir do outro lado não nos toca fisicamente, mas faz-nos ter a certeza de uma coisa: A vida ainda existe.

segunda-feira, 16 de março de 2020

Cansada

Estou cansada.

De ver e ouvir a tv.

De ler noticias.

Cansada, cansada, cansada!

É muito para gerir, a informação chove a potes a cada 5 minutos volvidos. E pior, a falsa noticia corre mais rápido que a verdadeira.

Sinto-me cansada e enjoada até.

Cancelei tudo o que tinha combinado. Encontro com amigos da universidade. Part-times. Saídas de fim de semana. TUDO.

Hoje vim trabalhar, porque alguém tem de vir, se o país não pára alguém tem de trabalhar.
Tinha processos para resolver na conservatória de registo predial local, foi-me submetido email ainda antes das 9:00h, a cancelar sob estarem restringidos a situações de emergência tipificada, para mim melhor. Saio de casa ao escritório e do escritório a casa. Ponto final. A gerência aguarda novidades do governo. 
Tenho colegas nas ruas, a operar. Não temos máscaras para adquirir em lado nenhum no concelho. Vêm aqui transportadores, correios e clientes... 

Sinto-me cansada.

Esperei eu ontem até às 20h para ouvir o meu chefe de estado, e quando ouço "fála-vos Marcelo, o cidadão" apeteceu-me escalar o Evereste de furiosa que estava! Eu não queria ouvir o Marcelo, queria ouvir o Presidente de uma Republica que o elegeu. 

As estimativas apontam para +/- 48 mil infectados daqui a 15 dias... Mas não são meras estimativas? são, mas eu sou matemática, o meu dia-a-dia, desde criança foi rodeada por números e por estudo numérico. Vou ser sempre dada à matemática ao invés das línguas, e como tal, acredito nas curvas de evolução viral e do comportamento sincrónico da coisa.

Vamos morrer. E seremos muitos.

Aos que se deslocam ao interior ou ao Alentejo porque "lá não há casos", NÃO O FAÇAM, Itália teve a mesma e brilhante ideia e agora estão a morrer às centenas por dia e em todo o lado.

Eu só tenho pena de uma coisa, de eventualmente eu ou alguém da minha família ter de competir por um lugar nos cuidados médicos com uma das abeculas de Lisboa. (e que me perdoem quem não tem culpa nenhuma e é de lá).
É incompreensível o comportamento desta gente. Egoístas.

A quem acredita, ou a quem não acredita, que Deus injecte no mundo um tempo de cura transversal, que nos ensine a ser menos e melhor. 

Que o meu país declare estado de emergência TOTAL imediatamente. Fazendo circular apenas medicamentos e operacionais de emergência médica ou militares de segurança publica. Chega disto... Não temos a dimensão de uma Itália, podemos resolver as coisas num mês, vamos esperar para quê?

quinta-feira, 12 de março de 2020

Covid-19

Ando a evitar falar nisto. Porque azar atrai azar, e derrotismo atrai derrotismo.

Portugal andou semanas a ver o que se passava na China, no sofá e sem grande dor. Tremeu quando se falou em Itália e no Irão, agir é que ficou para depois, aliás, ainda hoje com mais de 70 casos confirmados, agir é coisa que ainda fica para amanhã, ou rectificando, talvez para a semana, ou para a outra quem sabe.

A norte, tudo a norte e o resto do país a achar que o nosso norte é tão logo como a china (salvo seja, que isto é mais expressão que outra coisa - já que a porcaria do vírus vem mesmo de lá.). Casos suspeitos tudo para norte, ou para a zona litoral do médio Tejo. Ok. 

Estávamos preparados com toda a comodidade do mundo, que só Portugal no meio da sua própria evolução acha que tem. Até aparecer o primeiro caso - que vá, lá se respirou de alivio, afinal o pequeno da Europa também tinha categoria para arcar com um cóvid. Daqui não passa. Banhados por todo o lado, daqui não passa.

Hospitais de campanha no meio da rua.

Gente! O covid mata, mas há cura calma, pessoas com idades médias, com uma vida mais saudável e um sistema imunológico sem fragilidades curam-se, então há que proteger aqueles que não estão aí incluídos, certo? Eu espanto-me como é que se marcam reuniões para decidir se as escolas fecham ou não (???), se há casos nas instituições onde é que está a dúvida? 

Centro-centro e centro-este, nada, não há casos e que assim se mantenha, mas há os doidinhos do 8 ao 80, que ora se riem, porque lá está, é norte e o nosso norte fica na china de tão longe que é, e há ou doidos que só sabem é falar "ai Jesus que morre tudo". Lançaram o boato na segunda-feira de que haviam 2 casos confirmados na capital do meu concelho, pânico, depois desmentiu-se, ontem falaram num holandês, vindo da Holanda e confirmado com o covid-19, na minha freguesia, queira-se ou não, uma pessoa respira fundo e pensa "e agora?".

O part-time que tenho obriga-me a estar com pessoas, um dos pais dessas pessoas é de um grupo especial de intervenção da protecção civil, esperei por ele ontem e fiz questão de o abordar em particular. Questionei sobre a noticia de supostas confirmações, nada, zero. Nem no concelho nem no distrito, não há casos, nem sequer dúvidas e para ficar descansada que assim que houvesse que todos saberíamos de fonte segura. 

Ele disse ainda:

- O covid tem cura;
- Apesar de muito transmissível trata-se como qualquer outro surto, embora condicionados a ambiente próprio;
- A informação tem de ser passada de modo a informar e não a criar medo nas pessoas;
- Não há razões para lavar as mãos de 15 em 15 minutos se ainda não há confirmação de casos na comunidade em redor;
- Saber exactamente quais os sintomas, pois em doentes crónicos ou mais frágeis, os sintomas manifestam-se muito antes desses tipos 14 dias de incubação, é actuar logo, LOGO!

Se eu não vou confiar nele, formado e preparado todos os dias nestes âmbitos, vou confiar em quem? Acreditei e vou sossegar.
Calma.

Eu sei, pode parecer que é tudo lindo mas há pessoas a morrer. Eu sei. E estou completamente contra o sistema. Embora com este texto não pareça, mas estou.

Mas olhemos, sabemos que há países onde andam (as próprias famílias ou mesmo os médicos) a escolher quem tratam e quem deixam morrer, e cá vamos todos para a praia? Mas somos todos burros ou acham que o sol amanha não nasce de novo? Agora podem ler aqui um palavrão começado por "F"!

Juro, não nos percebo. Palermas que põem em risco uma nacionalidade inteira, andam a fazer o quê na escola? não sabem o significado de quarentena e de pandemia? E estes pais, sabem o que é uma bofetada ou isso é tão arcaico que já não se usa mais na educação? Gente do caraças.

quarta-feira, 11 de março de 2020

Pandora

Eu não disse que ia comprar?
Quando só me lembro dos outros e dos outros e me esqueço de mim, eu não estou a fazer bem aos outros estou-me a fazer mal a mim.

Então está na hora de olhar um pouquinho para mim e para os meus gostos.

No sábado em loja experimentei uma pandora de 17 cm achei super justo, mas a que experimentei também estava super rígida, de ainda ser nova (com o uso elas amolecem um pouquinho mais). Como a 17 cm parecia apertada, experimentei a de 19 cm, ui super larga 🙊. Tenho pulso de 15 cm... 

Ficou em encomenda a de tamanho 18 cm para passar a levantar na quarta-feira 11/03. Assim fiz.

Cheguei lá e experimentei a pulseira que ele lá tinha, não sei se por ser mais maleável que a 17 cm que tinha experimentado e nem pedi para medir. 

Mas já medi em casa, e qual o espanto: tem 17 cm! É sério, detesto que me passem a perna, fico pior que sei lá... 

Com os 17 cm, e com a espessura da pulseira, sobra pouco espaço livre, nas especificações da pandora eles indicam a compra da  pulseira com +2 cm que o tamanho do pulso, mas se a intenção for usar contas recomendam um tamanho maior, que no meu caso deviam ser esses 18 cm encomendados, de facto. No entanto dizem também que a pulseira com o uso alarga até 1 cm no primeiro ano. 

É verdade? alarga mesmo?
Eu não quero a pulseira com muitas contas então acho que nunca terá "muito peso", mas também não quero comprar contas e não dar para passar no braço.

É que se ela alarga mesmo, até, talvez os 17cm se justifiquem agora.

Agora não sei se vou lá amanhã armar a 3.ª guerra mundial, ou se espero por março de 2021 e que ela estique até lá. Arre 💁

Investir em Ouro?

No sábado, tal como já tinha dito por aqui, fui ver do fio de ouro para prenda de baptismo da minha, e do meu irmão, afilhada.
Aproveitei para ver da minha pandora e da minha primeira peça.

Como queria a malha singapura, pus a minha pulseira de ouro (que é dessa malha) para poder expressar logo que era aquela malha que queria. É que senhores... há imensos tipos de malha e alguns tão parecidos...

Por curiosidade falei no tempo em que comprei a minha pulseira e de quanto valor, o sr riu-se (comprei naquela loja), e eu continuei a conversa. O sr. perguntou se me podia tirar a pulseira e pesa-la, dei ordem claro. Fez uma conta e disse "sabe quanto custa a sua pulseira no dia de hoje?", estão a imaginar a minha cara? disse que não, mas que queria saber, CLARO. Pois que uma pulseira comprada por 50€, custava hoje 240,00€. Pois é... simples assim, quase que quintuplicou...

É certo que foi à mais de 10 anos. E daí? se na época se tivesse comprado forte e se esperasse pelo actual mercado, sem criar apego às jóias (é que para mim o apego é do caraças, se me apego, já não me desfaço) a vender hoje ia ser um bom investimento, sem dúvida.

Quando comecei a ler sobre investimentos, li logo nos primeiros dias, artigos sobre investimentos em compra de ouro (barra) e desisti da ideia, pelo preço, e pelas opiniões gerais sobre este tipo de investimento, porque a valorização é incerta, mas também o é em qualquer outro investimento.

Caraças pá, pena na época não ter comprado um 1kg de ouro, hoje tinha 100.000,00€.

terça-feira, 10 de março de 2020

Como têm sido os meus dias?

Ando um pouco desaparecida por aqui, e isso não tem necessariamente um motivo, ou melhor, tem vários:

- Estou a fazer uma formação online;
- Estou com um embrulho no trabalho (que me acudam!);
- Tenho um processo do meu irmão nas mãos;
- Começa a fazer bom tempo e ao fds já começo a fazer muita coisa na rua (até mesmo por casa, nos jardins);
- Tenho retirado algum tempo diário para ler.

E bom, queira-se ou não, quando se alteram hábitos, algumas das coisas que eram feitas naturalmente até essas mudanças começam a ficar para trás. 

Tenho lido pouco sobre finanças, mas também, com o covid-19-vírus, os investimentos estão difíceis de decidir ou mesmo de equacionar.
Março começou bem para mim, comecei por fazer algumas compras pessoais já, talvez passe mais tarde a mostrar, mas para já o ordenado do mês está praticamente intacto, não fosse o carro gastar gasolina e este "praticamente" era mais real era, enfim, não se pode ter tudo, muito menos enriquecer em 12 meses.

Quero ver se começo a partilhar conteúdo convosco, porque também aprendo com a vossa interacção nos comentários e isso é sempre uma mais valia.

terça-feira, 3 de março de 2020

Desafio financeiro de MARÇO!


(Desculpem o atraso - esqueci-me de publicar logo no dia 1)

Bem-vindo Marçozinho de primavera 😊😊

Para este mês a coisa fica simples (ou não 😂). O desafio é por cada apetitezinho que tenhamos de estragar dinheiro, retroceder na vontade e guardar esse valor. Um café/pequeno almoço na rua, uma pipocas no cinema, a sandália xpto, a revista Y, bolachas/bolos/besteiras no supermercado, etc., etc., tudo aquilo que vos for apetecendo ao longo do mês e em real consciência souberem que não vos acrescenta nada, NÃO COMPREM, façam esse pequeno esforço, são apenas quatro semanas e meia num ano de 52 semanas, vai acabar por passar rápido.

No final do mês se tiverem junto apenas 15€ nesta brincadeira já será óptimo e é valor que podem juntar aos 100,00€ (ou o valor que conseguiram) do mês passado.

"Mas eu já sou tão regrada/o", sim podem existir análises destas a este desafio, eu própria responderia assim, mas há sempre qualquer coisinha e posso dar exemplos meus, a pastilha elástica (que assumo, é raro, raríssimo comer, mas as vezes lá compro); toalhitas humedecidas, uso para tudo até para limpar sapatos; pastelaria; café depois de almoço (não tomo todos os dias, mas alguns, então é coisa que posso cortar); raspadinhas; snacks de lanche que nem sempre são os mais saudáveis e baratos (mesmo comprados em supermercados e levados na malinha para o trabalho); há sempre o que melhorar...

Vamos ver quanto conseguimos?

Bom Março e bom desafio.

Valor extra de ordenado - Novamente

Tal como já sabem recebo praticamente, não é certo, todos os meses um extra no ordenado. Esse valor estava desde o inicio do ano destinado a...