quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Atualidade pouco atual

Este mundo das noticias anda mesmo maravilho, à uns dias atras saiu uma noticia bombástica, pouco mas enfim, que descrevia que Pedro Teixeira estava envolvido em burlas. O burlado foi ele, e tantos outros investidores. Isto num negócio de Daniela Pimenta (ex. SSTVI) e seu marido. Ou sei marido e sua excelência Daniela. As noticias trazem sempre o nome dela em letras bem gordas porque é provável que as pessoas a conheçam a ela e não ao marido.
Bom, li que também António Queirós (também) ex. sstvi, diz ter sido burlado pela amiga (pode-se isto chamar de amiga?) em 127 mil euros. A verdade é que existem agora alguns investidores a denunciar o caso.

Numa noticia que saiu hoje em que se lia que António Queirós estava revoltado com a amiga e que se encontrava na "miséria" por causa do investimento que fez, fui consultar os comentários que já tinham sido feitos, e ora veja-se isto:


Fiquei a pensar. Uma pessoa que acaba de perder um total de mais de 100 mil euros tudo o que precisa de ouvir são estas palavras… Não haja dúvida!
Ele confiou, tratava-se de um negócio, que a ser verídico, se poderia tornar rentável sim. Mas estas palavras também me entraram pelos olhos dentro como uma chamada de atenção.

E é bem verdade, mais depressa se desce do que se sobe… 

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

⌛⏰

Sabem que dia do ano é hoje?

>>>> 262º dia <<<<

Pois é, ainda antes de ontem, segunda-feira dia 1 de Janeiro, fazíamos planos para 2018. Do dia 1, já vamos 262º.


segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Sobre ontem.

Ontem estava a passear pela minha rede social Facebook, quando me deparei com uma publicação de "mente empreendedora" em que me identifiquei de todo com a publicação que fizeram, e coloquei-a aqui em gênero de post. Não escrevi nada mais além do que lá estava, porque para mim já tudo estava dito.
A Cláudia e a Margarida responderam-me :) e eu agradeço o carinho e a paciência por virem passando aqui no meu espaço.

Fiquei a pensar na análise que ambas fizeram. Também concordo. É muitas vezes preciso dinheiro para dar o salto. Motivação e vontade. É verdade.
Mas não foi isso que me fez prender nestas palavras, não é na necessidade de se ser estável financeiramente para mudar, mas no "VAI SEM ACREDITAR MESMO!"

Vou contar-vos, hoje, algo muito pessoal (…) para que talvez seja mais fácil entender a publicação de ontem e outras que já coloquei por aqui.

Trabalhei um ano e meio numa empresa da qual não gostava, e comecei a não gostar ao 3º mês, o que implicaram 15 meses de angustia.
Colegas que a única preocupação era lixar o outro e uma administração que delirava e adora esse comportamento.
Trabalho desonesto.
Esforço nunca reconhecido.
Enxovalhamento e troça publica.
Cusquice entre mulheres de uma coisa inacreditável.
Castigos.

Decidi deixar a empresa 6 meses antes do dia em que sai pela ultima vez pela porta dos funcionários. 6 meses antes.
E porquê esse tempo todo?
Porque coloquei a limpo o que queria na altura, e foi tão simples quanto isto:

- Queres deixar a empresa? sim
- Podes fazê-lo agora? não
- Porquê? preciso de me manter estável e autónoma financeiramente. 

Depois meti uma frase na cabeça, depois de me obrigar a ler e pesquisar muito sobre paz social e afins:
EU NÃO VOU ACABAR A MINHA VIDA PROFISSIONAL NESTA EMPRESA. 

E foi aí que mudei. A cabeça. Sou jovem. Estava a dar em maluca no ambiente social da empresa, e obriguei-me a compreender que a decisão estava tomada, eu ia sair, demorasse o tempo que demorasse, e esse tempo era apenas o necessário para encontrar outro lugar. Esse tempo foi de 6 meses, não pensei que demorasse meio ano, mas compreendo que talvez tenha sido o tempo necessário para a mudança.
Não foram meses mais fáceis a nível de trabalho, não não foram, mas foram sim a nível psicológico, eu sabia que ia sair e aqueles que me dificultaram o caminho iam ter o seu mais difícil com a minha saída, é a vida em círculos. Não desejei mal a ninguém. Nem desejo.

Saí a uma sexta sem ninguém saber que à segunda já não iria entrar. 
Ninguém imagina o alivio que foi aquela primeira inspiração ao sair e fechar pela ultima vez a porta. Aquele som da porta a bater. O peito cheio de ar. Uma alegria desmedida. Os colegas que saiam à mesma hora a proferir coisas como "bom fim de semana", "até segunda" e afins parecidos. Ninguém imagina mesmo.

E isto tudo para dizer que a vida dá voltas, e desde o momento em que fazemos escolhas e o momento em que as aplicamos pode demorar, mas o importante é termos para nós a convicção de que, "não vamos morrer aqui", "não vamos ficar aqui para sempre (em casos de trabalho)", "que não é sempre o fim do mundo todos os dias de manhã".
O importante é estarmos em paz connosco próprias. Sabermos exatamente o que queremos, independentemente do tempo que isso demore a chegar à nossa vida. "VAI SEM ACREDITAR MESMO!". E a cada dia que passa a mudança pode estar mais perto. 
Saber ajustar as velas do barco é mais importante do que comprar o barco. 

Cheguei a não querer que a hora de dormir chegasse, porque sabia que seguidamente ia chegar a hora de levantar, vestir, comer, conduzir, entrar, sentar, aturar gente burra, fazer a mesma coisa de mil formas diferentes (porque dependia p/ que lado a administração acordasse), almoçar, regressar, aturar colegas idiotas e mais uma vez uma administração limitada em estudos aos berros, sair, conduzir, chegar a casa, lanchar, jantar, dormir… e um ciclo de 18 meses! Não foi fácil. E hoje digo com toda a convicção:

- Não aprendi rigorosamente nada a nível profissional, métodos de trabalhos, nada, zeeero! Mas aprendi muito a nível de relações humanas.

O importante é decidir ir, ir para além daquele edifício. Reformular o currículo e ir em busca. Mesmo que se tenham de esperar 6 meses! 1 ano ou 2. A sorte um dia muda, e enquanto não mudar, à que colocar um sorriso e no meio da estupides dos outros dizer em voz baixa para o nosso interior "eu vou ter melhor no meu caminho".

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Meio mês passado - Setembro

Setembro tem estado a ser um mês calmo, vive-se um dia de cada vez, sem pressa, e isso reflete-se também na carteira. Estamos a 14, meio mês vivido e gasto 13% do vencimento total até à data (os meus part-time não me pagam a totalidade no inicio  do mês, vão pagando conforme se vão trabalhando as horas, portanto o total ganho é provável que ainda suba), o que não me parece mau. Sinceramente, nada mau. 
- Ainda há mais combustível a abastecer;
- Ainda não retirei da conta à ordem o valor para a poupança;
- Ainda há gastos com a casa;
- Ainda há um fds em que quero ir ao cinema (já fui a uma secção o fds passado mas há outro interessante em exibição este mês);

Mas... tudo bem. Tudo tranquilo e controlado. As contas estão feitas, certo? Acho que me vou surpreender no final do ano. Mesmo que não atinja o meu objetivo de Maio.  

E por falar em final do ano, em Outubro tenho mesmo de começar a despachar as prendas de natal, só ainda tenho uma 😒!!

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Setembro, Setembro

Estou num mês em que não me apetece falar (e escrever) muito. Mesmo no meu dia-a-dia opto por me calar em frente a determinas situações que sei que podem gerar conversas intermináveis. E eu até gosto de debater tudo o que é assunto. Mas este mês, esqueçam, ou este inicio de mês. 
Tenho lido mais, e talvez isso me faça andar mais dentro dos contextos que leio. Quieta. Mas não tenho lido sobre economia ou finanças pessoais, não não tenho. Aliás, limito-me a abrir o painel das noticias 2 vezes ao dia e a ler as gordas das noticias da economia atual, entre fronteira e fora dela. Mas não tenho feito busca de artigos e etc's.

Planifiquei o mês de Setembro, financeiramente, na ultima semana de Agosto. E tem de ser cumprido/vivido à risca, ou corro o risco de que vá dar porcaria no final. Até aqui tudo bem, até 30 de Setembro não me tenho de preocupar em fazer mais contas. Não me posso é aventurar muito, porque fiquei apenas com uma folga de 110€. E ainda seria óptimo poupar (mais)90€. Eu e os meus limites 👍.  

De resto, tudo igual. Ou melhor, sabem a natureza? Bancos de jardim sob arvores altas com rama até praticamente à cabeça quando sentados? tenho feito visitas a alguns. No sábado passado estive sentada 1h:15min num. Junto a uma ribeira, ouvia-se o vento nas árvores, alguns animais do ambiente, e carros mais ao fundo. Juro que me deu umas 3 ou 4 vezes vontade de fechar os olhos e dormir. ahaha. Não levei nenhum livro nem nenhum tipo de tecnologia, só eu. E deu para descansar.

O mundo está de loucos, todos fazem listas para tudo. Todos nos obrigam a viver a uma velocidade parva. A tv está um lixo em conteúdos. Os debates de parlamento andam sem objetividade, e com tanto que se podiam preocupar agora (irra!). Encontro, ao acaso, amigos de infância no cemitério, porque já não temos tempo para bancos de café. Uma amiga que fez uma escolha de uma vida agora queixa-se de depressão, de abandono pela nossa parte. Falam-me em minimalismo mas vivem com 3mil obrigações, e muitas delas ligadas à exposição que têm de fazer nas redes sociais (têm? mas a vida é para se mostrar?). 

Parei.
E acho que por culpa, sei lá, talvez do tempo, e da nostalgia que sempre se apoderou de mim quando ficam dias mais cinzentos.

Tenho feito desporto ao final do dia. Também ajuda a cortar em rotinas. (em Agosto nem me mexi neste aspecto)

Mas tenho ido dormir mais tarde.

O trabalho, é mais, vai ser mais. E cada vez mais responsabilidade. Venha ela!

Fruta, ando viciada em laranjas. E também no silêncio, no meu e no dos outros.

terça-feira, 11 de setembro de 2018

SUNSHINE BLOGGER AWARD




O blogue My Life lançou-me um desafio, a mim e a mais 10 blogues com perguntas de temas vários. É um blogue que conheço à pouco tempo mas que gosto de ir acompanhando :) Tem informação sobre horta, assunto que eu gosto, e sobre temas diversos que são sempre agradáveis de ver/ler.
Obrigada Marisa, por esta nomeação 😊

Para quem não conhece as regras do desafio aqui ficam:
1º Agradecer à/ao bloguer que te nomeou;
2º responder a 11 perguntas colocadas;
3º nomear 11 bloguer e colocar-lhes 11 questões;
4º colocar as regras e logotipo do desafio no post.

Vamos então às respostas:
1. Livro ou e-book?
Livro, adoro o pegar, o folhear e a ideia de ser só eu e o papel;

2. Bifanas ou Sardinhas assadas?
Sardinha, sem duvidinha nenhuma. Adoro peixe, sardinha então…. 😋😋

3. Sabrinas ou salto alto?
Salto alto. E aqui tenho de justificar a escolha, opto pelo salto alto, mesmo não o usando diariamente porque não uso de todo sabrinas, a ultima vez que usei foi no meu crisma, e já lá vão uns tantos anos. Não uso, e no meio de tanto sapato que tenho acho incrível não ter nem um par. (agora que penso nisso)

4. Campo ou praia?
Campo. Vento, verde, animais, sombras, raios de sol entre folhas… Nada melhor que isto. Praia também, mas menos favorita.

5. Norte ou Sul?
Norte.

6. Verão ou inverno?
Por norma gosto mesmo das estações que intercalam estas duas, a primavera e o outono, a escolher entre as duas torna-se difícil, mas como sou uma pessoa que gosta de dormir, talvez opte, hoje, pelo inverno.💦

7. Doce ou Salgado?
Salgado. Ando a tentar tirar o doce da minha dieta;

8. Benfica ou Sporting?
SPORTING! 💚💚

9. Séries ou filmes?
Filmes.

10. Stephen Amell ou Josh Lucas?
Stephen.

11. Scarlett Johansson ou Sandra Bullock? 
Sandra.

Nomeada(o)s:

Questões a responder:
1. O porquê desse nome no blogue?
2. Água ou refrigerantes?
3. Dormir a tarde toda p/ descansar, ou passear para desanuviar?
4. Gelado ou gelatina?
5. Ao comprar algo: Poupar porque já tem semelhante ou adquiri porque se quer e fica bem com "x"?
6. Ténis ou sapato de vela?
7. Alimentação: Frango ou porco?
8. Decoração: Branco e tons neutros ou cores do arco iris?
9. Cinema ou discoteca?
10. Profissionalmente: Trabalho ligado à matemática ou à letra? (ex. matemática: engenharias, fabricas; letra: direito, serviços publicos)
11.  Ajudar o vizinho com dificuldade ou doar para a unicef?

Boa continuação a toda(o)s 😊😉

Atualidade pouco atual

Este mundo das noticias anda mesmo maravilho, à uns dias atras saiu uma noticia bombástica, pouco mas enfim, que descrevia que Pedro Teixei...