quinta-feira, 31 de maio de 2018

Desafio do Blog Lima-Limão ;)

A Cristina Criadora do lindo e útil blogue Lima Limão, desafiou alguns (outros) blogues a responderem a um leque de questões :) então aqui deixo o meu registo em jeito de resposta:
As questões a responder:
1. Rosto com ou sem maquilhagem?
Sem e com, depende da ocasião. Maioritariamente nas minhas rotinas é sem.

 2. Cores neutras ou padrões?
Neutras.

3. Campo ou praia?
Campo.

4. Doce ou salgado?
Salgado.

5. Dia ou  noite?
Noite. Adoro a pausa; o retiro; o recolher; o recomeçar;

6. Qual a peça de roupa que não falta no teu roupeiro?
Camisas.

7. Quem, no panorama governativo, merece um bom puxão de orelhas?
Todos ;)

8. Consumista ou minimalista?
Não me considero consusmista, aliás cada vez adquiro menos, mas também não me considero minimalista, vivo com muita coisa em redor;

9. Qual a peça de roupa mais cara do teu armário?
Sapatos; Vários. É realmente no calçado que tenho as peças mais caras;

10. A quem mudarias a imagem?
Penso sinceramente que a ninguém. Cada um como cada qual.

11. George Clooney ou David Beckham?
David.


Não nomeio blogues para o desafio dado que na publicação da Cristina onde fui nomeada, estão também os blogues que visito regulamente (Eu também tenho um blog; Diário de uma Jovem Assalairada).

Obrigada Cristina ;)
Beijinho

Análise Financeira - Maio

Maio a terminar. Começou em pausa e acaba de igual modo. Feriado.
É inacreditável como amanhã já começa o mês que marca transições… separa o ano por metades, a primeira metade e a segunda metade.
Maio financeiramente deixa registo de:
- 36,42% poupança bancária;
- 8 moedas de 2 euros; (valor não incluindo na poupança bancária).


quarta-feira, 30 de maio de 2018

Dia 150 de 2018 (30 Maio)

O penúltimo dia de Maio este ano coincide com o dia 150º do ano.
Praticamente metade do ano vivido. É o que eu digo, daqui a um par de meses já se começa a preparar o natal.

terça-feira, 29 de maio de 2018

% novamente.

Tenho lido muitas opiniões sobre a poupança em Portugal, interessam-me estes indicadores. Saber a média de poupança em 99 por exemplo. Sei que não acrescenta valor, mas gosto. Gosto de analisar estes dados. Evoluções ou retrocessos.
 
Ontem encontrei um fórum português onde perguntavam o que era considerado boa poupança para o trabalhador em Portugal.
 
Uma das respostas:
 
"Em relação à pergunta... Comparar ordenados diferentes é complicado... Por isso não falo em valores absolutos. Diria que um casal com casa para pagar, se poupar 33% do rendimento é bom. Com filhos, se conseguir chegar aos 15% também é bom. Alguém sozinho e a viver com os pais só a partir de um 50% é que esta realmente a fazer um esforço."
 
Estes valores vão ao encontro do que escrevi aqui. Eu sinto que faço um esforço todos os meses para ser melhor e melhor, mas se não chego aos 50% às tantas algo anda a falhar…

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Daquilo que nos rodeia - Programa de TV

Sim, porque todos acabamos por ver TV, política, desporto, séries e afins. Este fim de semana acabou um programa de TV emitido pela TVI.
Na página de Facebook gerou-se uma confusão ao longo da passada semana por causa do valor final em prémio. Muitos se indignaram por acharem que "15 mil euros " é um valor baixo. (Ok. Em anos transactos o valor era superior).  Cada um com a sua opinião, e respeito, mas ainda há quem pense, nos dias de hoje, depois da crise que atravessamos, que 15 mil euros é um valor baixo? Principalmente pelo esforço que foi aplicado?
 
Não duvido que a pressão vivida os marque para todo o resto de vida. Que a forma exaustiva como vasculham as suas vidas nem sempre compense o valor monetário que desta experiência advém. Mas falamos de 15 mil euros. 3 mil contos.

Para um comum trabalhador juntar 15 mil euros a poupar 4mil euros por ano, são precisos 3 anos e 9 meses de trabalho. E quantos conseguem poupar 4mil/ano? 
Uffa!

domingo, 27 de maio de 2018

A saga continua

A propósito da publicação de 24 de Maio, tive de pegar na agenda, analisar e reprogramar a minha vida mensal toda.  E aproveitei o fim de semana para isso.
Não que de momento seja uma desvairada com o salário, mas preciso de ser mais prática, ainda mais.
Consegui colocar as minhas obrigações mensais em 38% do salário liquido. (as contas mesmo! obrigatórias).

O rendimento extra servirá como moleta neste trajecto. Ou seja, será usado para o cinema e coisas várias do dia-a-dia.

Decidi que não comprarei mais nenhum livro (só se precisar de algum técnico/trabalho). Tenho 8 livros por ler. E quase 100% de certeza que não os lerei todos até ao fim do ano.

O pote de fim do ordenado/restos será usado em algo que precise mesmo. E que me esteja provisoriamente a privar neste início de projecto.

Ampliar o NÃO à compra de roupa até ao final de Dezembro. Pelo menos para mim, já que os presentes que ofereço por norma são roupa.

O verão será o pior. É mesmo o que me preocupa aqui no meio disto tudo, porque todas as decisões anteriores foram fáceis de tomar, mas o verão… Há festas, passeios, churrascadas entre amigos, mais convívios. Não coloco a opção de me fechar em casa. Logo se vê o que me ocorre futuramente neste aspecto.

Estou a começar.

sábado, 26 de maio de 2018

Ginásio

Eu sou uma pessoa dada ao desporto, gosto de acompanhar o panorama nacional desportivo, gosto de acompanhar as modalidades desportivas aqui da minha zona e gosto do desporto na minha vida.
Não faço ginásio.
Neste momento faço séries em casa
TREINO 1
- 15 levantamentos de peso em cada braço (4kG)
- 100 abdominais dos normais;

e faço 3 sequências. Terças, Quintas, Sábados

TREINO 2
- 50 agachamentos
- 50 elevação de gémeos (vai a cima como na imagem, e volta a baixo)

3 sequências. Segundas, Quartas, Sextas.



Ao domingo descanso.
Esta é a minha forma de me manter sã e de poupar no ginásio. Se tem os seus pontos negativos, claro que tem, entre os quais:
- A falta de convivência com colegas de treino;
- O entusiasmo que conseguimos à pala dos colegas ali ao lado a dar tudo;
- um horário definido e garantido para nós mesmos.
Mas traz pontos muito positivos:
- Consigo treinar quando acabo as tarefas do dia, seja em que horário for;
- Consigo acompanhar programas/series tv enquanto cumpro o treino;
- Poupança.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

2.925,82€ - Falemos de Coisas sérias.

O primeiro trimestre do ano correu melhor do que imaginei quando o ano iniciou.
Então, decidi arriscar:
Considerei um valor redondo a que gostaria (quero) de chegar em valor poupado ao final do ano. Desse valor retirei o que já tenho (o que poupei ao longo dos anos)  e resta 2.925,82€ para atingir o objetivo.
Dores de cabeça, foi o que tive assim que este valor se formou na célula do Excel. Ninguém me obriga, eu sei, mas é um valor que gostaria de atingir. Muito. Por muitas razões.
Olhei para o resto do calendário… restam 7 meses.
Em média seria necessário poupar 417,98€ mensais. Suei. É mais do que 50% do meu salário líquido.

Desenvolvo uma atividade extra que me permite ter dinheiro para por exemplo gastar em cinema, livraria, café 2x/semana com a amiga, pouco mais. (valor este que entra sempre na % de ganhos - Para que as %'s de poupança e gastos sejam reais).

Os encargos não são muitos (à data de hoje), mas ainda assim… acho que tenho de arranjar um outro extra. Para tornar o objetivo mais fácil.
É que retirar 417.98€/mês do ordenado não é impossível, mas seria muito difícil para mim este ritmo até ao fim do ano. Difícil mesmo. E reconsiderando as palavras, não sei, sinceramente, se impossível até.

Não vou desistir deste valor. Hoje pelo menos.

Sem gastos.

Bom dia,
É quinta-feira, o dia amanheceu à pouco e é o 4º dia da semana, ou 5º (incluindo o domingo). Trata-se da 21ª semana do ano. Ainda não acabou é certo e amanhã está em vista uma programação de amigas para uma ida ao cinema, nada ainda a 100% definido, mas ainda não gastei um único cêntimo esta semana. :D Bom trabalho para mim!
Isto de haverem semanas a gastos 0 é bom :) e nem se torna difícil, quando à partida, temos tudo previamente encaminhado e definido para o decorrer da semana. Se não for totalmente gastos 0 (possibilidade de cinema amanhã), andará perto disso.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Para Hoje - Roupeiro 1ª Intervenção

Hoje após terminar o horário de trabalho tenho um compromisso que me fará regressar a casa +/- por hora de jantar.
Estarei em família e depois quero ver se abro o meu roupeiro e dou uma mini volta na prateleira de cima.
Eu não compro roupa e calçado desde Agosto passado. Pretendo continuar assim até pelo menos Agosto deste ano (ou mais). Fui adquirindo muita roupa nos anos de estudante universitária e no primeiro tempo de trabalho, daí ter chegado a um limite a que me impus. Um ano sem compras. 
A minha figura física não sofreu grandes alterações, o que torna possível que roupa com 6 e mais anos, nas minhas mãos, me sirva.
 
Já li alguns blogues sobre "armários capsula"- possuir x número de peças para uma estação, sobre "limpezas" de roupeiro - se passamos uma estação sem vestir x peça é porque não necessitamos dela. etc., etc.
 
Tenho um roupeiro de 3 portas, uma é independente das outras duas. E por norma, nessa porta independente é onde coloco a roupa da estação a decorrer.
Tenho uma comoda de 4 gavetas.
Tudo completamente cheio.
 
Quem fala em roupa e calçado, fala em malas, e bijuteria. Tenho muita coisa e um mal maior, não consigo desfazer-me das coisas, porque lhes atribuo uma carga emocional.
 
Hoje quero começar pela prateleira superior do roupeiro (zona de 2 portas) e ver o que por lá anda. Aliás eu sei o que lá está. Casacos dobrados do tempo de estudante (só porque sim, porque quero guardar -  porque me trazem recordações), cascóis e uma caixa com bijuteria de à séculos. Quero começar por ai. Hoje.
 
O objetivo será conhecer todas as peças de vestuário, coordenar e começar a preparar atempadamente o que vestir por ocasião. Não passa por conhecer o que tenho para saber o que me faz falta para um coordenado perfeito, jamais, nem pensar! Compras zero, por favor! Sei que tenho opções sem fim no roupeiro.
 
Preciso de me desfazer de algumas peças, não uso, fazem peso, não me são úteis e ocupam espaço. Não é fácil, sei que não é. Sou emocional. Já o tentei fazer (livrar-me de certas peças), mas o que acontece sempre é que fico com a roupa na mão a relembrar momentos importantes com ela. Mas dizem por aí que arrumar a casa é arrumar-mo-nos a nós mesmos, não é? E a esta hora sei que preciso de começar por algum lado, pelo mais fácil, daí a opção "prateleira de topo do roupeiro", veremos quando esta hora terminar e chegar a de logo, a hora da verdade. Se a vontade continua. 😛😛

terça-feira, 22 de maio de 2018

Maio, Mai, Ma, M.... Acaba, Acab, Aca... Logo, Log, Lo...

Este fim de semana passou a correr, no domingo tirei o dia para não fazer rigorosamente nada. Nada de nada. Andei a arrastar-me pela casa a ver filmes, ler livros, vir à rua, ver filmes, ler livros, vir à rua... todo um ciclo. O que fez com que a segunda (ontem) fosse um dia horrível! custou a passar. Mas já ca estamos, na terça. Faltam 7 dias (incluindo o hoje) uteis de trabalho para que Maio termine. Parece-me que este mês está a decorrer de um modo mais lento, quando comparado com Abril por exemplo... Veremos se acaba bem.
 
No sábado comprei os presentes dos 2 aniversários de Maio (custaram 4,12% do vencimento). Não foi mau. Encontrei uns achados na Modalfa 🙌🙌 É preciso paciência, tempo, e conhecer bem os aniversariantes.
 
Ainda não tomei coragem de marcar a manutenção automóvel, mas vou ter de o fazer mais dia menos dia.
Aff, eu detesto este encargos. Mas andar a pé também não se equaciona.

sábado, 19 de maio de 2018

Verifique se poupou 10% ao longo dos anos de trabalho.

Das muitas coisas que leio por aí, esta abordagem e método de analisar se andamos minimamente corretos nestas andanças, levou-me a fazer contas. Não se perde nada em analisar ☺

Valter Police ensina uma fórmula aproximada, mas simples, de saber se você está no caminho certo em termos de formação de poupança. Subtraia da sua idade a idade na qual você começou a trabalhar para verificar há quantos anos você trabalha de forma remunerada. Depois, calcule 10% do número de anos trabalhados, multiplique por 12 e, em seguida, pelo valor do seu último salário líquido.
“Se o seu patrimônio se aproximar do resultado, significa que você poupou, em média, cerca de 10% da sua renda ao longo dos seus anos de trabalho. Você está no caminho certo. Se sua poupança for inferior a esse resultado, então você deve rever sua forma de poupar”, explica Police. Ele lembra ainda que bens e dinheiro herdados ou doados a você não devem entrar na conta, apenas aquilo que você realmente construiu."
Bons resultados por ai?
☺☺☺

sexta-feira, 18 de maio de 2018

36.42%

Este mês está a ser vivido com muita/o calma/stress. É uma mistura de ambos.
Mês de gastos que não são contabilizados todos os meses.

E o que é que eu fiz ontem?
- transferência de 36.42% para a poupança.
Percentagem um pouco mais baixa que nos últimos dois meses (60.84% e 46%). Ainda assim muito bom, sei disso. E porquê este valor se tenho tantos gastos ainda? Porque se sai da conta deixa de existir. Pode parecer inconsequente, ainda falta muito mês para acabar, mas obriga-me a ser controlada e a não fugir do que é realmente importante.
 
No final veremos se se consegue juntar mais alguma coisa.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Histórias de Vida

Isto hoje vai em jeito de desabafo (...)
 
Ontem ao final de tarde sentei-me num jardim com uma amiga (amiga mesmo, de longa data, das que sabe tudo de nós). Fizemos uma caminhada e parámos um pouco antes de cada uma regressar à sua casa.
 
Falámos sobre n situações, acho sempre que o tempo e as conversas com amigos são terapias. E prezo sempre por manter contacto com aqueles que são verdadeiramente "nossos".
 
Falámos então, de trabalho, de um hobby que eu tenho a nível de desporto, do companheiro dela, do que tencionávamos fazer nas férias, programas de TV, etc., etc., até se falou de vernizes 😛😛, mulherada é assim!

Confessou-me que gostaria de planear a vida a dois com o parceiro, não que não o façam já, mas a fazê-lo por si sós. Ou seja, ele trabalha fora do país. Quando vem, partilham casa de familiares. Não é fácil imaginar a vida assim para um todo o sempre, pensa ela, e eu concordo. Começar uma vida a dois não é fácil, ainda mais nestas circunstâncias-um em cada canto-, mas concordo, e lá está, mais uma vez entra o dinheiro na conversa, que ter algum valor monetário para investir "à cabeça" facilita em muito algumas decisões. Não quero de todo parecer má ou injusta, mas como o nome do meu cantinho indica eu ando na casa dos 20's, mais para o lado dos e tantos que o e poucos, e esta minha amiga é mais velha -em um ano-, nunca trabalhou, também não estudou. E é aqui que me lembro que sempre fui interrogada durante o meu percurso com as típicas frases, - E a faculdade como corre? Quando terminas? - E o namorado? - E o trabalho? - E o namorado? - E o trabalho?, como se tudo se resumisse a uma lista que temos de cumprir conforme a idade que vamos possuindo. Eu optei por desde cedo investir na minha pessoa (não o devemos fazer sempre?), e só depois o resto. Eu olho para a minha amiga, que namora desde os 14 e neste momento não tem mais nada que não isso. Ela própria disse, que a ter dinheiro já teriam conseguido na pior das hipóteses alugar um espaço só deles. Faz-me muita confusão este tipo de situações, e chega mesmo a "doer", não consigo explicar, a saber que não se está bem não se investe para melhorar. Isto custa-me. Ver, saber, acompanhar estas situações. Não gosto de me repetir, já a incentivei a procurar trabalho (na nossa zona até existem espaços ligados à restauração que volta e meia solicitam mão de obra), já a incentivei a viajar com o companheiro e procurar por terras que não as nossas, e o que verifiquei nessa altura foi que deixou de me contactar para sair/passear, e passou a estar mais tempo com pessoas que vivem +/- assim também. Isto custa.
Deixei de tentar ajudar, de tentar aconselhar, do modo que acho que consiga ou que seja o melhor.

Eu não sei o que me espera lá à frente. Mas espero que a lucidez nunca me falte. Primeiro à que plantar a árvore e só depois, muito depois, colher os frutos.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Ainda ando zonza.

Ainda ando a digerir o resultado da submissão do IRS referente a 2017. Nunca mais a minha resposta será, "Não, não há essa necessidade", quando me perguntarem se quero fatura com contribuinte!
É para abrir os olhos.
 
Hoje na pausa de almoço estive a olhar para o meu mês de Maio, (sim olhar, que isto anda tudo programado em agenda) e verifiquei que:
 
Gastei até ao momento 28.17% do meu vencimento.
 
Destes 28,17 % gastos, apenas 2€ estão já em poupança (ou seja, consegui ONTEM a minha primeira moeda de 2€ do mês de Maio!), todo o restante diz respeito a gastos/consumos esperados mensalmente (X a entregar em casa para  pagamento de prestação de serviços-água/gás/etc | Y para combustível | Z para lazer-coisas várias do dia-a-dia - Ressalvo que o valor aqui são uns pares de euros.).
 
Não está mau, se pensar que a 16 de Maio (meio mês decorrido), ainda possuo 71,83% de vencimento em conta, não, não está.
 
Mas amanhã já serão efetuados pagamentos, entre os quais:
 
- poupança bancária; -a poupança é sempre encarada como pagamento mensal obrigatório
- poupança casa; (ainda não defini valor)
- Telemóvel;
 
 
Considerando que os pagamentos obrigatórios depois destes 3 tópicos riscados ficam completos e com a % disponível já referida tudo aponta que este mês poderia ser brilhante.
 
Mas...
 
Gastos a esperar até ao fim do mês:
- Combustível;
- dois aniversários;
- Compra de um equipamento necessário p/ atividade profissional;
- Manutenção do carro;
(gggggrrrrrrrrr!)

terça-feira, 15 de maio de 2018

IRS - 2017

Notícia das notícias.... Este ano pela primeira vez vou ter de pagar IRS!
Até fico azul com a situação.
São menos 88€ que posso localizar em gastos essenciais (luz, água, alimentação, e/ou em poupança).
São 88€ a irem para os cofres sei lá de quem!
 
Eu descontei o ano inteiro para IRS e ainda pago 88€!! Quase que choro!
 
A verdade é que as coisas mudam, aliás andam a mudar constantemente, e apesar de apresentar imensa despesa em saúde ou outros sectores estão praticamente a zeros.
 
- Em hipermercados nunca peço fatura com NIF;
- Mudei a bateria do carro e o sr nem me passou fatura, ilegalidade dele, irresponsabilidade minha;
- Em livraria não peço fatura com NIF;
- Não registei faturas associadas a receita (porque quando dizemos "sim"-temos receita, teremos de inserir o custo, e a prescrição médica não trazia custo associado)
- enfim... enfim... enfim.
 
Menos 88€!
 
Agora tenho de ver as datas limite de pagamento! Este mês já não me calha nada bem esta despesa :(

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Novo ajuste

Até agora conduzia as minhas poupanças  unicamente para a poupança bancária, mas haverá mudanças:
 
- X para a conta poupança;
 
- Y para ter em casa;
 
Este fim de semana fiz as contas ao valor de juro liquido num simulador online, e sinceramente pelo valor que obtive decidi passar a conduzir o valor poupado bipartido (instituição bancária | casa).

Se podia aplicar a minha poupança num banco com taxas mais elevadas? Sim podia, mas trabalho com esta instituição bancária à muitos anos, é perto de casa o que me facilita as visitas e me poupa nos gastos inerentes à deslocação.

Assim sendo, decidi alterar apenas o montante a depositar.

O importante será saber que o dinheiro a guardar em casa, será, também, visto como poupança à qual só recorro em caso de necessidade.

domingo, 13 de maio de 2018

13.

Domingo, domingo, domingo. Adoro os domingos. É dia de transição. De semana. De recomeçar. 

Feliz 13 de Maio.

sábado, 12 de maio de 2018

8º mês de blog

Nunca pensei que escrever objetivos os fizesse ser mais reais. Em Outubro de 2017 comecei a partilhar, dentro da privacidade que defini, os meus objetivos pessoais a nível financeiro. Apesar de só em Outubro ter começado a escrever, foi em Janeiro que a mudança iniciou, com o objetivo de poupar mais no decorrer do ano.
Com a necessidade de escrever, métodos de poupança, formas de poupar que encontro ou que magico, a análise financeira do mês, etc., etc., fez com que fosse mais regrada (quem por aqui lê, sabe que no primeiro trimestre deste ano, poupei o mesmo que ao longo do ano de 2017).
Eu gosto de ser verdadeira, apesar de não mencionar números em euros, apresento-os em %s, e o facto de já ter criado o habito de ir partilhando algumas metas, como exemplo, a partilha da análise financeira do mês, incentiva a que poupe mais, porque gosto de apresentar bons resultados.
Nem sempre serão tão bons, mas enquanto forem .... 😊😊😊
Por isso, esta experiência tem sido positiva, muito, permitindo-me conhecer outras realidades em outros blogs com tantas outras metas e vivências diferentes.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

???

Onde é que param as moedas de 2€?
Este mês, ainda não consegui nem uma para o meu mealheiro!!!!!!!!!!!!!

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Agimos como Pensamos.

Quando se sai de casa com a certeza que tudo irá correr bem, tudo fica mais fácil. Cada vez mais acredito que somos movidos a energia, à nossa energia.
Se há positivismo no que vamos fazer, tudo corre melhor, e se não correr, se falharmos, outras oportunidades virão.
 
Já tive dias em que tinha autenticas provas de fogo, todos temos, e vivia isso em demasia. O não dormir adequadamente, o estar ansiosa até aquele "problema" ser resolvido, o não acreditar que conseguiria, etc., etc., tudo se torna uma bola de neve.
 
Hoje em dia, o problema com o sono ainda se mantêm, é difícil controlar isso, mas o resto vai tomando o seu rumo, vou conseguindo organizar ideias e ideais na cabeça. Nem tudo depende de mim, nem tudo corre bem à primeira, nem tudo se faz num só dia. À que dar tempo, despender empenho e dedicação.
 
Quando não se sabe, pergunta-se. É simples, alivia a cabeça e ajuda nas relações humanas.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

A viver Maio.

Estamos em Maio, o mês da renovação, de renascer e recomeçar. Muito deste espírito se deve à religião.
Por aqui já se vêm grandes grupos de peregrinação.
Que o esforço para quem caminha recompense. Que sejamos pessoas de bem com a vida e com o próximo. É, a meu ver, o essencial.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Do que se lê por aí.

Hoje pela manhã pesquisei sobre percentagens de poupança do povo português ao longo dos últimos anos, dando de caras com uma publicação do DN, que apresenta como titulo Jovens sem mesada não aprendem a gerir o dinheiro.
 
Estes títulos retiram-me alguma paz.
Nunca tive mesada em criança e no inicio da adolescência. E não é por isso que acho que não sei poupar, ou que não tenha aprendido a fazê-lo.
 
Os meus pais falavam de dinheiro, de contas, e de encargos à  nossa frente, sem esconderem a realidade e nós (filhos) crescemos a entender quais as prioridades monetárias.
 
Acabamos por ser retratos dos nossos, do que vemos acontecer. E quer queiramos ou não, as nossas escolhas iram ao encontro da educação que recebemos.
 
Sou a favor que aprendem a gerir o seu dinheirinho, mas também sou a favor que entendam que esse "dinheirinho" que recebem, de tios/as, avós/ôs, etc., etc., é fruto do trabalho de alguém. Que um dia será o deles.
 
 

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Somos Feitos de Fases

Em março referi que gostaria de chegar a um patamar mensal onde o dinheiro que saia fosse igual ao dinheiro que entrava.  Ou seja, por cada compra que fizesse teria que colocar o mesmo valor em poupança. O que acabaria por me permitir poupar 50% do vencimento, pela lógica. Em Abril  consegui melhor que isso e poupei na verdade 60.84% face ao valor que recebi. 
O que é que eu fiz? Não o mencionei aqui no blog, mas mencionei-o aqui ao lado, num outor blog que aborda o mesmo tema, Diário de uma Jovem Assalariada.

Segui 4 ideias:
- Mapear os meus gastos obrigatórios (nada de vestuário, livraria, etc.)
- Contabilizar no mapa de gastos obrigatórios um valor de poupança (já faço sempre)
- Levantar 30€ para ter comigo (café, pastelaria, etc.)
- Manter o restante em conta à ordem, para algum imprevisto. no final transferir para a poupança o que restasse.

Não é "coisa" para se fazer todos os meses, porque é um plano que não permite qualquer gasto fora do que nos é obrigatório (contas de habitação, alimentação, combustivel, seguros,...), mas resultou. E resultou no meu melhor mês.

Não vou aplicar em Maio, mas talvez o passe a fazer 1 vez/semestre (2 vezes por ano).
Reitero o que já escrevi por aqui, tenho de momento facilidade em conseguir controlar bem as minhas contas porque os meus encargos pessoais são poucos, mas muito se deve, também, ao facto de não ter qualquer vicío de aquisição, nem sempre assim fui, já tive fases de todo o santo mês adquirir vestuário, por exemplo. As prioridades mudam. E ainda bem.


quarta-feira, 2 de maio de 2018

E se começarmos agora?

Maio já decorre dentro da sua normalidade, amanhece, anoitece é tudo um ciclo, o que difere é o que fazemos no intervalo desses dois tempos.
Muitos de nós estabelecemos metas no virar do ano:
- profissionais;
- pessoais;
- financeiras;
-etc., etc. ;
E se ainda não foram atingidas, ainda vamos a tempo.
Profissionalmente ainda me falta testar o método de mapear no dia anterior as tarefas do dia seguinte, acredito mesmo que será um método a resultar.
A nível pessoal, por vezes, nem tudo corre como queremos. Com calma haveremos de chegar a bom porto.
Financeiramente deixo uma tabelita para quem se esqueceu de começar as poupanças em Janeiro, mas que as pode começar agora ;) nunca é tarde, para nada na nossa vida.
Para atingir os valores superior terá de se poupar os valores atribuídos mensalmente. Qualquer valor que queira poupar é só dividir por 8 (número de meses até o ano findar).
500 €
750 €
1.000 €
Maio
63 €
94 €
125 €
Junho
63 €
94 €
125 €
Julho
63 €
94 €
125 €
Agosto
63 €
94 €
125 €
Setembro
63 €
94 €
125 €
Outubro
63 €
94 €
125 €
Novembro
63 €
94 €
125 €
Dezembro
63 €
94 €
125 €

terça-feira, 1 de maio de 2018

Bem-vindo-Maio

Maio inicia hoje.
Inicia em pausa, tal como Janeiro. Feriado. Nem todos os meses se podem gabar deste feito :) Começa assim, em jeito de festa, o 5º mês do ano, De modo simplista designamos o dia como feriado, mas é bem mais que isso. Não passa pela pausa laboral, pelo descanso de um dia a meio da semana, de poder fazer o que um dia normal de trabalho não permite, não, não passa por isso. O 1º de Maio tem história da nossa história, da nossa e da dos outros paises (foi la onde começou).

Sendo dia do trabalhador não deviamos todos trabalhar? Não, errado (mas eu ouço essa frase muitas vezes, todos os anos). É dia do trabalhador, e é feriado por alguém (um grupo) ter agido e solicitado direitos laborais.
É história. Nossa. E de todos.

Bem-vindo Maio, sejas feliz.

RAIZE

Já escrevi sobre a Raize  algumas vezes aqui no blog. Plataforma de empréstimo de dinheiro a empresas por parte de financiadores comuns. E...