quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Dia Mundial da Poupança 31-Nov.

A propósito do dia de hoje.
O jornal expresso avançou ontem com uma notícia sobre o valor poupado mensalmente pelos portugueses a partir de um estudo da Intrum. Até aqui tudo bem, todos os dias são feitos estudos não é verdade? 
O título fez-me abrir a noticia mal o acabei de ler, "Portugueses só poupam em média 80euros por mês". 
Epá! Fiquei angustiada. 
Pensei, "só?"
Li a noticia até ao fim. Não nos posso comparar a uma suíça. Sabem quanto custa um frango cru lá? pois...
Depois comecei a minha análise critica ao que a noticia diz, 58% de nós consegue poupar mensalmente, estamos acima da média europeia (57%), então, isso não é bom? Além de que 76% de nós poupa para inesperadas despesas. Isto são bons indicadores! É sinal de preocupação e tentativa de antecipação.

Continuei… bom se a média de poupança é de 80€/mês e se devemos poupar pelo menos 10% do nosso vencimento, não está tudo certo? Está! 80€/mês são 10% de um vencimento liquido de 800€. 

Ora, ora, não estamos nós num país de rendimentos bem inferiores a isso numa grande percentagem de habitantes? 80€/mês parece pouco, é pouco e será pouco, mas é o que conseguimos. Todos os custos em nosso redor aumentam, uns elementos anualmente outros oscilam semana a semana. Não é fácil.
E estes 80€/mês não passam de um indicador em média! Média! Muitos de nós estão acima e tantos outros estão abaixo.

Desafio - Dia 31

Obrigada.
Tem tradução para outras línguas, mas já notaram como fica o som ao pronunciá-la? Na língua portuguesa soa como em nenhuma outra. E quando se usa? Pode muitas vezes mudar o contexto de situações.
Não é a palavra da nossa língua que mais gosto, mas poderia muito bem ser.

Obrigada a quem esteve desse lado ao longo deste mês. A quem acompanhou os meus gostos e desagrados. Obrigada a quem partilhou, também, um pouco de si.

Vemo-nos  por aí e, claro, por aqui 😊

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Desafio - Dia 30


A respeito das eleições do Brasil, tenho a minha opinião é obvio. Isto da politica é coisa para dar assunto de sobra. Mas não é sobre isso que, hoje, me foco. Eu gosto de me manter atualizada quer entre fronteira quer fora. Acompanho a politica e a economia dos estados membros da UE, e de alguns fora. É algo que faço por gosto, não me obrigo a pesquisas e à leitura de jornais é verdade, mas quando me lembro e tenho disponibilidade dou um check pelas noticias gerais. É arrepiante que alguns jovens nem saibam quantos são os estados da UE. Isto estudasse! O interesse pelo mundo em geral aprende-se, incute-se e praticasse. E apesar de nem todos termos que ter os mesmo gostos, acho que a nossa história e a nossa essência enquanto países vizinhos devia despertar em todos o interesse de aprender e se manter atualizado.
Eu vivo em Portugal, tenho água e apesar de em junho/julho o alarme de seca e de reservas no Alentejo terem sido alarmantes, não tenho estudos que me indiquem que a curto prazo ficarei sem água para consumo, mas há zonas do mundo em que sim… Há zonas onde já contabilizam tempos diários de banho!
Ilhas atoladas em lixo orgânico;
Já comemos partículas de plástico nos alimentos que depositamos com cuidado nas panelas;
...

Sobre cada um ser por si só…
Não compreendo, temos tanto o que aprender com outros estados, outras culturas. Estar dentro das noticias é o mínimo… 

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Desafio - Dia 29


Incoerências. 
Normalmente quando se pergunta, "o que mais te incomoda?" responde-se instantaneamente que "a mentira". E sim, a mentira é coisa que me entristece e não consigo perceber o porquê de se fazer uso de tal coisa, mas adiante… incoerências, são as incoerências que me revoltam o estomago. Direito a mudar-mos todos temos, é um facto, mas consegue-se perceber quando uma pessoa muda de opinião porque realmente possui uma nova opinião ou quando está simplesmente a ser incoerente. Quando muda de opinião conforme o grupo em que está a decorrer a conversa, o dia, o mês, a estação… 

domingo, 28 de outubro de 2018

Desafio - Dia 28



Pressão. Sob stress.
Em todas as áreas da vida (pessoal, profissional, outras se as houver) a minha melhor forma de funcionar é sob pressão. É quando tenho as melhores ideias. Quando funciono de modo mais rápido e prático.
Não se explica. É-se.

sábado, 27 de outubro de 2018

Desafio - Dia 27

O meu fruto seco preferido é sem dúvida a castanha. Gosto do outono como já vos disse. Gosto do castanho tal como, também, já vos disse. E esta fruta é de outono, castanha, de dias de viragem de temperatura, de entretinimento em cuidar, descascar e comer.

Ponto negativo: Este ano ainda não comi!

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Desafio - Dia 26



Já vos falei de tanta coisa que há meras coisas que vão passando pelos pingos da chuva, assuntos que possivelmente não me fariam escrever um texto sobre eles, então, e pensando nessas pequenas coisas, aqui ficam 5 curiosidades sobre a própria que escreve:

- O meu dia termina às 23h (ou tento que não fuja disso);
- Uso protetor solar todos os dias (faça sol ou chuva a potes);
- Ganho frieiras nas mãos e nos pés com uma leveza e facilidade do caraças;
- Deixei de beber café e descafeinado e agora só bebo cariocas de limão;
- Acredito no Karma. 

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Desafio - Dia 25


Dia 25.
É inevitável que a esta data não me lembre do natal (e atenção que já só estamos a 2 Meses do próprio dia de natal, para relembrar os mais esquecidos que tal como eu ainda não têm nada preparado). Quando iniciei este desafio não tinha nos planos escrever sobre essa época, mas hoje acho que faz sentido. Porque já se fala, já correm aos híper e supermercados, aos centros de venda de tudo e mais alguma coisa. Já se apressam. Ainda não se notam luzinhas, mas não tardará.

O natal para mim é?
- Família;
- Cheiro a quente (JURO! que este cheiro existe. O calor da lareira, dos cozinhados, da comida, dos bicos do fogão a foguear, do forno ligado, das conversas mil…);
- Crianças a fazer barulho, e birras!
- Chamadas da família mais distante a durarem 5 minutos e saberem tão bem, pela vida;
- Leitão assado;
- Abraços e amuos;
- Vozes altas;
- Risadas;
- TV ligada a falar para as paredes;
- Resistência ao sono;
- Chuva a bater nas vidraças das janelas, onde se refletem as luzes de velas acesas;

- Mas:
também é um sufoco, um nó preso. Por tudo o que se foi perdendo ao longo dos anos.

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Desafio - Dia 24

Resultado de imagem para silêncio

Hoje a ideia é não dizer nada.
Aprende-se muito. Calar-se, já não é visto por mim, como uma defeito de quem não sabe argumentar, mas sim uma qualidade.

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Desafio - Dia 23

Resultado de imagem para sobrinhos
Sobrinhos.
Tenho 3.
Convivo mais com uma que com os restantes.

No passado fim de semana, enquanto se vestia e preparava, entre a forma como colocava a camisola, como separava o cabelo em partes para o pentear, entre o modo como procurava entre as minhas coisas o óleo de pontas de cabelo (que adora colocar antes de se pentear - e sabe que não me importo que derrame sempre um pouco mais que o necessário), o jeito como revirava os produtos de rosto em busca do dela (que tenho especificamente e unicamente para ela - e p/ os cuidados dela como criança com pele sensível), a forma como o espalhava pelo rosto e fazia os contornos do nariz, a forma como me pedia por favor um baton para passar nos lábios. Fez-me perceber que ela é chapadinha em mim. Adotou os meus comportamentos. Algumas rotinas. Alguns gestos. 

Quer o mesmo corte de cabelo que eu. (- E se a tia fizer franja? - Eu também faço, ou mando fazer!). Gosta de passar tempo comigo. Gosta de abrir o meu roupeiro, de dizer "uauuu" sempre que vê o mesmo vestido azulão pendurado sempre no mesmo sitio. Gosta de abrir a maquilhagem, de dizer que um dia vai ter tantos batons como eu, e de perguntar se serei eu a oferecer-lhos. Gosta de vestir saias e pergunta se está bonita. Gosta de arrumar o quarto comigo (o meu quarto). Gosta de tratar dos jardins na minha companhia, de poleirar flores o que para ela quer dizer plantar flores. De regá-las também. Gosta que lhe faça testes de matemática, e o nome desta atividade fui eu que o dei. Testes de matemática. Contas simples como 1+1; 3+2; 5+1... Sempre a somar, ainda. Nada de subtrações. Gosta de pintar e de quando lhe digo que está "maravilhoso". Zanga-se com facilidade. Quando dorme comigo diz-me sempre "pronto, agora vou dormir" e vira-se para o lado da janela, fecha os olhos e dorme. Gosta que lhe faça o pequeno almoço, garante que tenho sempre boas ideias (pudera, é preciso imaginação para a por a comer tudo). Gosta de fazer bolos comigo, mas nunca tem apetite para os comer. Sabe o código de acesso ao meu telemóvel, e afirma que nunca o contou a ninguém. Sabe onde guardo um envelope com determinada quantia de dinheiro (que não faz ideia de quanto), e sempre que mexo lá perto quando alguém está no quarto, ex. a minha mãe, ela faz-me sinal, como quem diz "cuidado o esconderijo está a ver-se", mas nunca contou a ninguém do que se tratava os guinchinhos dela de aflição a querer dizer "fecha isso, fecha isso!". Sabe que me irrita se dizer slb, slb, slb pela casa fora. Vai comigo, sempre feliz, depositar o lixo. Gosta de me ajudar a varrer o chão. Escolhe todos os domingos o conjunto de lençóis que irei por na minha cama. Lava peças de roupa delicada à mão, comigo. Ajuda-me a separar a roupa a ir para a máquina. Às vezes engana-se e chama-me madrinha, não sou, sou apenas tia. Chama-me quando temos que escovar os dentes. Anda praticamente sempre atras de mim, mesmo quando não quero que vá até à varanda. Come sempre mais descansada quando a chamo para comer à minha esquerda, longe do meio dos papás. Gosta de alguns dos meus poucos brinquedos, ainda não percebe o porque de com a idade dela não ter tido livros de desenhos para colorir. No fim de semana passado perguntou se eu e a minha irmã (madrinha dela) eramos primas. Ainda não percebe bem os graus de parentesco. O namorado dela é o pai. Gosta de dar abraços e de quando dizemos que tem um cabelo lindo. Cheio de caracóis largos. Não vive lá em casa, mas ao fim de semana está sempre por lá.

Tem 5 anos.
Não é minha filha, mas não sabendo o que é amar um filho, quase que arriscava a dizer que a amo como se o fosse.

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Desafio - Dia 22 💶💶




Um ano depois.
Este blogue faz um ano hoje. 🎈🎈🎉🎉🎉🎈🎈

Surgiu porque eu estava a iniciar um projecto que me ia ocupar muito tempo, e decidi criá-lo para me poder distrair durante alguns minutos diários. Fez sentido ser sobre poupança porque era um tema que estava a querer explorar, até para poder evoluir nesse âmbito. 
Hoje, um ano depois consigo ter na minha poupança 3,x vezes mais que o que tinha na mesma data do ano passado. 
Foi um ano que me ensinou muito e de certo não será fácil que me esqueça do que foi vivido.


Obrigada a quem está desse lado, a quem incentiva, indica novos caminhos, se dá também a conhecer. Partilha a sua opinião. Questiona métodos. Alinha em desafios. Este intercambio de vivencias é essencial. E estou grata por isso.
Beijinhos a todas e a todos quanto por aqui passam 🎉 e feliz aniversário 😊😊

domingo, 21 de outubro de 2018

Desafio - Dia 21


Gosto dos domingos. Não é 
novidade. O sétimo dia da semana, a ter de optar, é o meu dia preferido da semana.
Descanso,
Relaxo,
Faço essencial e maioritariamente o que gosto.

Mas há uma curiosidade, dado que de que gosto do domingo já sabem, teria de haver uma razão para esta publicação (...) é simples, depois das 18h já não gosto de estar fora de casa.
Se saio e às 18h ainda não estou em casa, ou se me apercebo que não estarei entro logo em stress. Juro, é inevitável! Gosto de estar cedo em casa para me preparar para a semana que iniciará, abrandar o ritmo durante aquele par de horas antes de dormir. E tenho na minha cabeça as 18h como hora limite de saída aos domingos. 
Simples assim :)

Bom domingo :)

sábado, 20 de outubro de 2018

Desafio - Dia 20

Resultado de imagem para linguas estrangeiras

Não gosto de línguas.
Percebo o Italiano e o Espanhol facilmente e consigo interagir.
No francês fui perdendo a fluência. 
Quanto ao inglês, traumas infantis/pré-adolescentes. Os professores em situações diversas, são sim culpados.

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Desafio - Dia 19 🅲🆁7


Cristiano Ronaldo.
Tenho ainda hoje pessoas que me rodeiam que não conseguem perceber a admiração que tenho por este homem. O respeito.
Vivem  e convivem comigo todos os dias e a cada vez que se fala nele ficam meio que incrédulas pela forma como me expresso.

Admiro-o muito. É trabalhador, exigente e focado.

Sai de casa sozinho, rumo à capital, numa idade em que os miúdos de hoje sabem pouco mais que jogar em aparelhos tecnológicos.

Aos 17/18 anos corria atras do sonho e já ganhava milhares enquanto que muitos dos jovens com essa idade ainda nem trabalham. (eu, por exemplo.)

Joga 9 anos no clube que idealizou em criança e ganha tudo o que havia para ganhar.
Mais, tem duas ligas diferentes com tudo ganho. A iniciar aquela que espero que seja a 3ª.

Gasta milhares/milhões em carros? Mas não pede à mamã trocos para ir para os copos com os amigos. (façam-se entender as milhas palavras.)

É o melhor do mundo? é. Mas sem qualquer discussão possível.

Ora vejamos, se mesmo depois de ser considerado pelo mundo inteiro o melhor, se ele não continua a ser dos atletas que mais treina nas equipas? se não continua a ter uma alimentação à base do que lhe fornece os nutrientes de que precisa? Se não continua interessado nas horas de descanso de que precisa para estar na alta performance a que já nos habituou? 

Não senhores, não é pela cara bonita, é pelo esforço. Este homem merece tudo o que tem. Perde o pai e joga por nós? Rebaixaram-no anos e anos seguidos numa liga onde se cruzava com o talento de Messi, e jogava de sorriso e respondia com resultados?
Enxovalham-no, chamam-lhe arrogante e ele responde com 3 golos frente à Espanha?

Faz 3.000 abdominais diários para ter um corpo à prova de balas no que a lesões diz respeito. Tem um rendimento desportivo de um jovem. Gere o património (ou manda gerir) sem alaridos e vai conquistando espaços nos 4 cantos. Apostou na ilha dele, na nossa e de todos os que lá passam. Chora quando é injustiçado sem pudor nenhum, com a falha estampada no rosto. Educa o filho mais velho de um modo simples e regrado, e quase que aposto para ser o braço direito dele em tudo!

Bebes de frasquinho? mas quem é que são os idiotas que fazem este tipo de frase? o homem ama os filhos. Não lhes faltará nada material, é um facto. Mas amor, amor eles terão.

É muito simples quando se fala dele perto de mim, costumo perguntar quantas horas trabalham fora do seu local de trabalho para que no dia seguinte sejam (ainda) mais produtivos. 2? 3? 4? Quantas horas ficam a trabalhar num assunto que não correu bem ao longo do dia? 1? 2?
Ficam a olhar para mim com cara de "trabalho 8 horas, achas pouco?"

Aqui temos a diferença.
Um melhor do mundo não trabalha 8 horas. Trabalha 24 h, anos e anos. E o Cristiano é isso. Trabalho. Acredito que quando deixar os relvados e pegar numa qualquer outra área, publicidade, treinador, o que quiser, será igualmente o primeiro a chegar e o último a sair. Porque a disciplina é um modo de se ser, de se estar. E ele têm-na. 
(E tu?) 

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Desafio - Dia 18


Temos diversas propriedades.
A maior, tem a habitação, a garagem, as casinhas dos animais, um pomar, terra de cultivo, jardins, e vinha. Comprada pelos meus pais alguns anos depois de casados.

(E eu?
Eu gostava de construir ali, num dos espaços desta quinta.)

Todas as restantes propriedades da família foram herdadas por falecimento de avos, contendo essencialmente árvores florestais (pinheiro, eucalipto).

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Desafio - Dia 17 📓


Este é o livro da minha vida.


Pouco há que possa falar sobre a conexão que tenho a esta história. Li-o aos 17 anos.
O meu primeiro livro de coleção.
Lido todo numa tarde e inicio de noite. Chorei desde o meio do livro até ao fim (no dia seguinte tinha a cara numa lástima! claro 😓😂😂).
É uma tragédia da vida real.

Histórias destas acontecem todos os dias em todos os cantos do mundo. Em famílias, em pessoas, em lares, em juventudes, em infâncias… em vidas! 💚

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Desafio - Dia 16 ☝☝



Sou sempre a favor do, não sabes, pergunta. 
Mas não o aplico sempre.

Medo do erro. Será culpa do meio em que se cresce e se se torna adulto? Ou é nossa? É nos exigido um foco diferente do de outras gerações. Também nos é posto quase tudo nas mãos (e o ato do desenvencilhar-se por si não é eficazmente transmitido). É depois, quando nos cai a ficha, que fica difícil a volta. Ou a reviravolta.

E dizer-se que "estou aqui", sou capaz e vou fazer? não é fácil dar a volta a incertezas que vão surgindo pelo caminho. Se a sociedade exige que sejamos focados e exímios é preciso soltar asas e erros no percurso, correto? Então porque nos é, desde cedo, incutido que o erro é algo desastroso, que te desvalorizará enquanto pessoa/profissional? Que o erro é dos que não conseguem fazer nem nunca conseguiram… Dos que não se esforçaram o suficiente!?
De quem é a culpa desta desordem do "pergunto ou não?". Se é que há culpados.

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Desafio - Dia 15 📺



O Phineas e Ferb são os desenhos animados da minha pré adolescência até aos dias de hoje. Via com o meu irmão e ainda hoje se estiver a passear pela televisão e encontrar isto a dar acabo sempre por ver o episodio (e os seguintes se os houver).

Também sou do tempo do Sonic (quando saia da primária corria para ir ver). E achava sempre que conseguia correr tanto como ele (pobre criança iludida).

Do zorro.
Da história da Cinderela por episódios.
Dos 3 mosqueteiros.
… 
(onde é que hoje se fazem desenhos animados destes?)

domingo, 14 de outubro de 2018

Desafio - Dia 14 🅽🅾🅼🅴


Tenho 4 nomes. 2 próprios e 2 sobrenomes, um da mãe e outro do pai. 

Os meus pais não herdaram os sobrenomes de ambos os pais, mas eu sim.
E gosto da composição do meu nome. Soa bem. E sou uma sortuda, tenho no nome a história das duas famílias. 💚

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Desafio - Dia 12 👩


Não sou feminista de extremos, como agora virou moda(s).
Mas este texto está fabuloso.
Sou mulher e acho que nós, não retirando mérito ao povo masculino, somos estrondosas em tudo o que fazemos. Temos uma capacidade de solução fantástica. 

Eu adoro ser mulher!
E gosto de tudo o que está relacionado ao sê-lo. 

À força que temos para independentemente do trabalho que realizamos, termos genica para a casa, a alimentação, os filhos, os maridos/namorados.
A elegância dos saltos altos.
A audácia dos brincos e/ou qualquer outro artigo de "decoração".
A inteligência.
O sentido de humor. 
A capacidade de se estar em casa envolvida em roupa de pijama e sair fantástica e pomposa.
As lutas que travámos para estarmos onde estamos hoje, socialmente.
As mãos para a cozinha e o gosto apurado pelos ensinamentos de mãe.
A independência.
O conforto que só uma mulher sabe dar e equilibrar as energias com a segurança que o homem transmite.
Sou mulher. E gosto de tudo o que está relacionado ao sê-lo.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Desafio - Dia 11 📺📼


Confesso. Gostava muito de vos falar deste tema com alguma simplicidade mas não consigo. Não há um filme que seja o filme da minha vida (ao contrario do livro - que há!), não há um que morra de vontade de ver ou que adoraria que continuasse numa saga… e o motivo é bem simples. 

- Eu adoro cinema - 

 E isto é uma das realidades sobre mim.

Eu adoro, adoro mesmo, e não se prende apenas ao momento de ir ao cinema, ao espaço assim nomeado, não, não, eu mesmo em casa sempre que consigo dou um salto ou aos canais cabo ou ao youtube e vejo o primeiro que aparece, não tem que ter tema especifico (artes, romance, comédia, terror), não, não tem. Apesar de que filmes de terror me causam algum sofrimento. 😂

É preciso gostar da nossa cultura, independentemente de onde ela começou. Uma sala de cinema meia não é a mesma coisa.

Não vou todos os fds ao cinema (até porque existem outras responsabilidades). Mas sempre que posso vou. . Na minha zona as seções são de 3€ (e só há ao fim de semana), não acho inacessível. 

Cinema são 2/3 horas que tiro para mim e para os meus (por norma nunca vou sozinha), é descanso, é história e é arte.

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Desafio - Dia 10 🌵


Ora imagine-se o que esta imagem quererá dizer!

ADORO flores, sou tão básica nesta vida que basta que me ofereçam flores 🌸🍀🌹🌵🌼🌺.
O meu género preferido são os catos e as suculentas, por serem verdes, terem uma manutenção fácil, crescerem rápido e se tornarem bonito/as em qualquer época do ano.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Desafio - Dia 9 👚👚



A peça de roupa que mais tenho será sem grandes duvidas a camisa. No verão não uso muito (a não ser que a noite esteja mais fresca), no entanto, nas restantes épocas é uma peça de roupa que não falta no meu dia-a-dia. 

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Desafio - Dia 8 😉


Ora bem, aqui vamos direitinhos a algo que me irrita solenemente. A lamentação das pessoas. Quem é que não tem disto ao redor da sua vida?

Mas atenção, é a lamentação infundada.

Porque no que diz respeito à lamentação com fundamento, meus caros, eu fico em pápa e sinto-me a chorar por dentro. Muitas vezes ao final do dia vejo pessoas a sair de carrinhas do trabalho, sujos de pó, visivelmente cansados, mãos grossas e gretadas do esforço no uso da força, a sacola do almoço ao ombro…
Juro-vos que me dá um aperto no coração. E não, essas pessoas não se viram para mim a lamentar-se. Claro que não. Mas é a minha cabeça. A minha cabeça pensa no porquê de ser esta vida tão dura para certas pessoas. E é sério, muitas vezes as lágrimas vêm-me aos olhos. Isso deixa-me triste, muito. E caso vos apetece perguntar, não, não sei porquê, mas fico assim, triste, revoltada, com pena, angustiada. Imagino como pode ter sido difícil a vida, o dia, as decisões. Sim, as pessoas que vejo podem até ser felizes na vida que levam, não estou a dizer o contrário, mas o semblante pesado, a mim também me pesa.

Mas irritada, irritada fico com gente estupida que se queixa de situações semelhantes à da imagem acima. Juro que me dá uma vontade de espetar um murro entre os olhos dos queixosos.
Gente parva, que sabe lá o que a vida custa. E se sabem, então são além de parvos, burros e imbecis.
Que me perdoem, mas no meu feitio este tipo de comportamentos não caem bem. Ferve-me o sangue e fico logo desorientada.

domingo, 7 de outubro de 2018

Desafio - Dia 7 💚🆂🅲🅿💚


Sou Sportinguista. Já o sabem.
Não me lembro de ouvir o meu pai falar no clube quando ainda estava armazenada a flutuar dentro da mamy. Mas a verdade é que ouvi.
Tenho tanta história sobre o clube.

- Sobre o que vivi ao ver jogo a jogo, e/ou ao ouvir pela rádio, bem baixinho para não fazer barulho (quando davam os jogos da UEFA a horas mais tardias e lá em casa se precisava de dormir [os adultos], para se ir trabalhar do dia seguinte).

- Sobre os derbys lisboetas e as lutas com o meu irmão (benfiquista). Certa vez, miúdos, estávamos a ver o jogo, incluindo os meus pais. O meu irmão pega em mim pelas costas em redor da barriga e anda comigo ao colo pela sala, tinham marcado e estavam a ganhar. Eu furiosa e menina do papá comecei a chorar e a queixar-me da barriga. Tínhamos estado a comer melão e então tal ato mereceu-lhe um bom raspanete. Será escusado dizer que não me doía nada? 😈😈

- Taça UEFA de 2004;

- Sá Pinto a treinador!

- A história maravilhosa 💚 dos 5 violinos;

- As palavras de um pai ao assistir ao jogo;

Não me consigo alongar. O Sporting está-me no coração. Na vida em que cresci, nas aflições e nos quase ataques cardíacos. Nas lágrimas de sofrimento e de alegria, todas baralhadas e misturadas. Está-me no rosto. Eu sou realmente Sporting 💚.  

sábado, 6 de outubro de 2018

Desafio - Dia 6 👏👏


Kate. Kate Middleton. 

Quais estrelas de cinema qual quê!

Para mim, Kate, é das mulheres mais bonitas deste mundo. Acho-a tão "isto"! A simplicidade, a forma de se expressar, a privacidade, a família. É mesmo a meu ver a rapariga/mulher mais bonita no mundo das celebridades. Gosto da Meghan de um modo praticamente semelhante, mas a Kate tem um lado frágil e intocável que a Meghan não tem. 

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Desafio - Dia 5 👎👎👎❌



Não visto vermelho.

Nada, zero, nem nas meias. E como eu dizia enquanto era adolescente "vermelho nem nos bonequinhos das meias". Sim, eu usava meias com bonecos, laços, riscas, enfim, toda uma diversão de cor.

Não sei porquê, mas é mesmo uma cor que não me diz nada. Não usei, não uso e não me vejo a usar.
A culpa não é do benfica, não, não é. Nada relacionado.

Mas não gosto e há poucas escolhas sobre as quais não consiga dar uma explicação lógica, mas neste caso não me sai nem nunca saiu nada lógico sobre esta escolha.

O meu chipe da cor deve ter vindo avariado. 😜😜

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Desafio - Dia 4 🏃


Esta imagem tem ligação direta ao que sou enquanto desportista. Uso esta frase na minha cabeça em todos os minutos enquanto treino.
Uso-a, também, para relembrar os colegas de treino do motivo de se estar ali.

Apesar de treinar sozinha em casa, algumas séries de exercícios localizados (coisa que já sabem), treino um desporto colectivo desde os 13 anos.
Fui atleta de alta competição durante 10 anos. (nacional e internacional)
Com muitas provas.
Com muito esforço.
Com pouco incentivo da sociedade envolvente.
Cheguei a treinar 6 dias por semana. Hoje já não se verifica esta periodicidade, existem outras prioridades. Já não entro em competição. Porque não quero, sei que é uma porta aberta.

Estou mais leve no desporto, com menos responsabilidade (também não podia ser de outra maneira, a vida profissional é diferente da de estudante.), mas estou porque quero e posso.

"Você veio porque quis. Então para de reclamar e treina!"

Só me falta aplica-la noutros aspectos da vida 😛 nem tudo pode ser perfeito 😅! 

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Desafio - Dia 3 👶

Nasci sozinha.
A minha mãe aguardava no corredor do hospital que a levassem para a sala de parto. Gritou por ajuda e chegaram a ela enfermeiras que lhe garantiram " a sua menina não é para já já". 
Pois não, não era. 
Mas fui. 
Nasci pela força da minha mãe, e quando chegaram novamente junto dela, já lá estávamos as duas. Tive sorte, não fiquei com o cordão a fazer pressão na garganta e tudo correu bem. Era pequenina. Estava chuva, frio. 

Talvez não tenha nada a ver com este acontecimento, mas o certo é que sou uma pessoa que gosta de por mãos em tudo e de fazer tudo sozinha.

"Até para nascer temos que dar a volta".

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Desafio - Dia 2 💭💭


Esta imagem retrata fielmente aquilo que sou.

Gosto de tudo o que é simples, de poucos traços e poucas complicações mas que retratam perfeitamente o que se vive.
Na família, na amizade e no amor.

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Desafio - Dia 1 💚➕➖➗❔✔


Sob qualquer outra imagem, esta teria de ser a primeira.
Define-me enquanto pessoa e enquanto profissional.

No 12.º ano, todo o adolescente sabe o que quer seguir. Eu não, eu não sabia. Tinha gosto por praticamente todas as áreas, e apenas uma certeza, adorava matemática. Uma frase muito minha "Eu gosto de matemática, mas não sei matemática" (se fizerem uso desta frase, citem-me como fonte e autora 😉). Mas sabia, sei que também sabia.

Nos testes psicológicos que se faziam na altura, de caracter obrigatório, no gabinete minúsculo da psicóloga da escola, o meu resultado foi simples , "tens aptidão natural para a matemática, fraquejando nas línguas", ui que novidade para mim… "a terapia da fala está a ter muita saída, e assim continuara durante uns bons anos" o que pressupus que me estava a dar a dica de que tinha tempo de me formar e ainda sair numa boa época de caça ao emprego.
Qual quê!

Matemática.

Escolhi uma área. Depois de muita volta.
Não, não escolhi a matemática em si. Mas escolhi um curso onde ela esteve presente todos os dias, e se perlongou até hoje.

Um curso difícil, ainda não o sabia, mas soube pouco depois de entrar na faculdade. ohh se soube!
Matemática, cálculos, físicas (SOCORRO, o quanto eu odiava física), álgebras e afins deste mundo que é o número.

Não foi fácil adaptar-me. 

17 anos no B.I.
Saí sozinha da minha localidade para uma cidade que não conhecia.
Sem nenhum amigo a ir estudar na mesma escola.
Viver sozinha pela primeira vez.
Um clima bem diferente do da minha zona.
Uiii, que bom é pensar que tudo passou. Que tudo se adaptou. Conheci pessoas novas, colegas que nunca passaram de apenas isso e amigos de 💚.

Agradeço a mim, sempre que me lembro disto, de não ter desistido. A física continua na minha vida (inevitavelmente!, tal como a matemática, como o português tem de estar na interpretação, e como qualquer outra área que estudei e que achei não ser relevante, mas que um dia acaba por fazer sentido).

Possivelmente, se fosse hoje não conseguiria terminar esta formação.
Foram 3 anos, 3 anos e 2 meses de formação, dedicação e empenho.

É considerada uma área difícil. Não é qualquer jovem hoje em dia que a escolhe.
Quando recebi uma mensagem, rebentei de emoções:
"Saíram. Vai ver ****** :) ". 

Eram as notas da ultima cadeira que me faltava.
Subi as escadas principais do edifício escolar e dirigi-me ao átrio (era aí que afixavam as notas), direitinha à vitrine do meu curso. Vi a nota e pensei baixinho para mim "não foi assim tão difícil". E não. Todos os medos acabaram ali. Estava feito. Era hora de me despedir e regressar a casa.

Ainda hoje, quando surge algum trabalho mais difícil, sempre que termino penso "não foi assim tão difícil". Porque sou assim, stresso com tudo, atravesso escolhas difíceis, entro em paranoia, mas depois respiro de alivio quando se termina.

Na primeira noite académica que tive, como boa caloira, fui. Lembro-me e retenho muito para mim e para dar de exemplo a outras pessoas uma conversa com um grupo de estudantes mais velhos:

F- "Esquece, aqui (nome do curso), ou passas ou te divertes" - estudante do 2º ano do meu curso;
T- "Se equilibrares as coisas consegues" - estudante de 2º ano de Marketing; Cruzei-me muitas vez com ele na biblioteca.

Não precisei de optar, os 3 anos chegaram para tudo.

Vivi. Conheci. Formei-me. E tenho saudade do tempo em si. Mas não voltava atras.

Há coisas neste blog que o dinheiro não compra!

- "estamparente, verde ou cinza, tu é que escolhes" (Como não percebi bem, tentei que repetisse) - As da tia estão de que cor? ...