quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Simplificar ações diárias

Nunca tinha trabalhado online com a minha conta bancária. Lembro-me de em 2014 ter recebido no balção, quando fui atualizar dados de conta, documentação para iniciar consulta e movimento online. Nunca ativei a senha e em Agosto deste ano o responsável pela agencia que frequento perguntou-me porque estava ali fisicamente se podia proceder aquelas ações online.
"Olha, agora não posso vir aqui porquê?"
 
Procurei pela documentação, já não existia. Hoje pela fresca (que agora à la outro estado de tempo), fui à minha agência e solicitei novos dados de acesso online. Fácil, 10min depois estava a sair.
 
Já iniciei as pesquisas de dados disponíveis, e a consulta é tão rápida e fácil que me custa acreditar que não tivesse aderido antes.
 
Também já analisei o campo de transações entre conta à ordem e conta poupança (motivo que me fazia ir todos os meses à agência transferir), simplificado, foi o que achei.
 
Para 2019 a poupança vai trabalhar com um montante fixo mensalmente como já descrevi, assim sendo, o facto de poder fazer a transferência, online, a qualquer hora do dia, facilita o processo.
 
Processo de simplificação, é nisso que me estou a focar agora, antes de arrancar com um ano que espero que seja de luz.
 
Aproveitei e, ainda nas instalações da agência, pedi que me fosse feita uma simulação de seguro automóvel, de modo a analisar se posso ou não beneficiar em diferença monetária com o seguro atual. Estou a aguardar a receção no e-mail. (O meu irmão tem um seguro mais especifico que o meu e paga menos, e tem o seguro pelo banco, o mesmo banco que eu, vai daí que decidi analisar a coisa).
 
Aproveitei ainda mais um pouco, e já nos campos online, andei a analisar tudo o que são depósitos e opções de dinheiro a render mais que a simples poupança. É para esquecer com o banco com que trabalho. Tem taxas muito baixas. Eu sei, não posso pedir milagres. Não subscrevi obrigações do Sporting SAD e às tantas ainda me vou arrepender.
 
Adiante, para já, o processo de simplificar as transações entre as duas contas está feito. Normalmente os vizinhos (aqueles que ficam colados a uma pessoa nas filas de caixa) ficavam surpreendidos quando a srª ou srº do balção diziam a alto e bom som, "É para depositar xxx,88€, confirma?", deviam pensar para que eram os 88 cêntimos ali… Eu escrevia sempre um papelinho e metia na caderneta e dizia para me procederem àquela transação. Mas diziam eles que é politica, têm de questionar sempre.
 
Eu se estivesse na fila também achava estranho que se transferissem 348,52€, p.e., e pensaria instantaneamente , "ao menos arredonda-se para 350€", nós somos assim, embirrentos por natureza. A verdade é que transferir montantes finais a cada mês me permitiu poupar bem mais, sem deixar que o dinheiro ande perdido na conta à ordem.
 
E é isto.

8 comentários:

  1. Desde que me lembro que faço tudo pela net.
    Só tenho pena é que a CGD cobre pelas transferências! É uma vergonha.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cobra? Realmente não sabia.
      Mas fechei a minha conta CGD o ano passado, por causa de custos de manutenção. Custou-me mas teve de ser.

      Eliminar
  2. Olá,

    Tenho códigos o netbanco quase desde que tenho conta bancária e facilita imenso.

    Não faço transferência mensal para a poupança porque a verdade é que não consigo poupar todos os meses. Com casa e respetivas despesas, carros e dependentes, gerir os rendimentos é um exercício muito difícil.

    Beijinhos
    Margarida
    https://minhacasadopatio.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Facilita, tenho ideia de que sim.

      Gerir uma casa não é fácil, acredito.
      Beijinho

      Eliminar
  3. Homebanking rules. Bem-vinda a 2018. ;)

    Não sei se no teu caso faz sentido, mas uma hipótese é automatizares as poupanças (se o teu banco o permitir, mas penso que seja algo comum -- na CGD posso). Por exemplo, no dia X de cada mês transferir automaticamente Y€ para a conta Z. Em meses em que o dinheiro "sobre", podes transferir mais alguma coisa manualmente.

    Mas, para mim, o melhor do homebanking nem é propriamente o que *faço*, mas sim as *consultas* -- é tão simples mostrar movimentos entre duas datas, o que me serve para os posts dos gastos semanais, mas também dá para ir mais longe, como exportar para um ficheiro Excel ou coisa parecida, fazer "pie charts" para ver onde é que o dinheiro tem ido, traçar a evolução financeira ao longo do tempo, etc..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim eu sei que temos a possibilidade de otimizar o processo automaticamente. Mas… Sou supersticiosa e é difícil de explicar essa "não escolha".

      Consultas, leitura de gráficos, exportações, tudo isso, analisei e gostei do que vi :)

      Eliminar
  4. Eu sou a favor de simplificar ao máximo a minha vida e apesar de ter os acessos de homebanking do meu banco, apenas uso para consultar a poupança. De resto faço todas as operações que preciso, incluindo transferências/levantamento para a poupança no ATM do banco. Vou lá uma vez por mês e resolvo de uma vez o que preciso. Costumo aproveitar as caminhadas de domingo para resolver isso.
    :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Transferências na ATM, por acaso nunca me lembrei de as fazer. Fazia sempre em balção, acho que também pelo facto de querer atualizar logo a caderneta de conta. Manias.

      Boa, sempre se alia o desporto ao encargos :D

      Eliminar

Mealheiro (pelas mãos da Cláudia)

Hoje trago-vos uma novidade, que para muitos já não o é porque conhecem a Cláudia do blog " Eu também tenho um blog ", ela tem jei...