quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Desconforto e Resiliência

Desconforto: fome, frio, sono,

Resiliência: capacidade de adaptação, de seguir em frente face a entraves…

Terão estas duas palavras alguma coisa a ver uma com a outra?

Tanta e tanta gente a falar, nos agoras, sobre minimalismos, sobre a obrigatoriedade de sermos resilientes, de sermos saudáveis, etc. e será que já parámos para perceber o que "resiliência" nos tem a dizer?

Ser-se resiliente é não desistir, é mesmo com cãibra correr, mesmo com sono levantar, mesmo cansado continuar. É a força que damos ao nosso pensamento e a forma como o transformamos em ação. Resiliência é também, o agora, o que se vive. O mundo não vai esperar que eu arrume os cacos e me reconstrua. O padeiro vai passar à mesma hora, o autocarro dos estudantes vai continuar de férias, os senhores que recolhem o lixo vão continuar a passar à quinta-feira, entre as 06:00min e as 06:30min. O mundo não espera.

Resiliência? É sair da zona de conforto, é abandonar a dor mesmo que ela esteja ali. E é aqui que encaixo o desconforto. Eu, se não me sentir desconfortável nunca chegarei aos pés da resiliência, continuarei meio bamba pelos dias.

Alimentação, hábitos, leitura, economia financeira pessoal, sono, em todos estes itens tive um processo de desconforto na minha vida, em algum momento, alguns bem lá atras (+ de 5 anos) outros mais recentes (< a 1 ano), mas foi no desconforto que me agarrei a uma vontade de inverter a tendência. Chamam-lhe Resiliência. E eu aceito.

Eu não me aceito confortável em lado nenhum, talvez por isso busque sempre o que fazer e com o que me manter ocupada. Profissionalmente tenciono estudar mais (a minha profissão nem permite que seja de outro modo), pessoalmente ando dedicada a leituras sobre assuntos que à muito gostaria de perceber (ando a dar o passo), financeiramente, não me canso de me projectar, para 5/10 anos, ou mesmo para a terça-feira que vem.

Ser-se desconfortável é bom, faz-nos ser de olhos abertos.

2 comentários:

  1. Temos mesmo que seguir em frente perante entraves e obstáculos... Se não, vivemos só para eles.
    Eu estava-me só a focar nisso...

    Parece-me que também estás no bom caminho. Muito bom, aliás =)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Eu sinto que a minha vida está em stand by à 1 ano e meio, desde que fiquei desempregada e está difícil voltar ao ritmo anterior, infelizmente não tenho tido sorte nas entrevistas e começa a ficar difícil pensar em anos como estás a fazer.

    ResponderEliminar

Saúde

Ando à uns dias com um torcicolo, isto dói imenso, chega a dar dores de cabeça, ando cansada disto e de ter isto.