domingo, 18 de agosto de 2019

Voltei.

Ai agosto, agosto ūüėä
Regressei, as férias terminam hoje. Foram boas, muuuito! Deu tempinho para tudo o que tinha planeado fazer e para o descanso que esperava também ter.
A vida s√£o ciclos, est√° na hora de come√ßar outro. ūüėä Para quem ainda est√° ou estar√° de f√©rias, aqui fica o meu desejo de que sejam boas e alegres ūüėä

Ontem, tal como logo no in√≠cio das f√©rias houve um jantar de fam√≠lia materna, com uma tia que √©, desde √† uns anos, uma refer√™ncia para mim, em praticamente tudo. N√£o foi sempre assim, como √© l√≥gico nem sempre me interessei ou liguei ao que ligo de momento. Mas no agora, ou de √† uns anos para c√°, respeito-os muito por diversos factores (ao casal de tios - tia materna mais marido). 
S√£o casados √† mais de 30 anos. T√™m 2 filhas. Viveram no estrangeiro e deixaram para tr√°s a educa√ß√£o das meninas entregues aos av√≥s. Lutaram em terras que n√£o conheciam para construir em Portugal uma casita aos poucos. Chegaram a dormir em cima de mantas colocadas estrategicamente em cima da terra batida, ainda sem acabamentos, porque a casa ia em paredes e telhado s√≥. 
Iam e voltavam, at√© voltar de vez. 

Chegaram e continuaram a construir-se enquanto casal e enquanto família. Para onde o tio fosse a tia ia, onde ela quisesse ir ele ia também. Sempre assim foi. Era preciso pão, iam os dois. Nem gostavam que fosse de outro modo. Respeito-os e admiro-os por isso. São um casal de muito respeito, e cumplicidade.

Ontem, disse ela, " estamos numa idade que temos de começar a aproveitar a vida, nunca vivemos nada". Isto na sequência de ter dito que iam tirar duas semanas de férias este ano. Fiquei maravilhada. São pessoas de trabalho, trabalho sol a sol, no duro (madeireiros, os dois. Ele corta ela empilha). Sofridos, mas nunca derrotados. Alargaram a casa, ajudaram as filhas, compram a pronto, poupam e são focados na vida deles. Adoro-os por isso, por serem um no outro. Pensam igual e conseguiram um império pelas mãos deles.

Tem 52 anos, a tia. E vai começar a viver de outro modo. Senti-o naquelas palavras. Apluado de pé. Merecem.

Isto para quê? Para reconhecer perante mim própria, que vale a pena, vale mesmo. Quando se rema no mesmo barco, quando se percebe que há tempo, que têm de haver cedências, quando há equilíbrio e paciência.

√Č domingo, n√£o saio depois das 18h, j√° almocei. Vou assistir √† 7a arte ou pegar num livro aleatoriamente.

Resto de bom fim de semana.ūüėä

4 coment√°rios:

  1. Espero que as férias tenham corrido para lá de bem =)
    E ainda bem que fizeste tudo.. Eu ando a sonhar com as minhas, mas tenho que me aguentar =P

    Olha, essa história motiva. Mas também abre os olhos... Aquela situação de não se viver e ir-se sobrevivendo.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Em resposta à tua pergunta, só não ando com ele ao colo porque ele não deixa =P e eu tenho algum medo hahah =P

    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. Tenho uma frase que penso muitas vezes e que me ajuda a manter o foco "work hard pays off" :)

    ResponderEliminar
  4. Ainda bem que tiveste umas boas férias :). Que o regresso à rotina também seja muito bom.
    Isso é, realmente, uma história comovente!
    Beijinhos
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar

Valores da semana 31

 Gastos: