quinta-feira, 19 de agosto de 2021

Férias

Antes de voltarmos à rotina por aqui, e de vos falar do regresso ao trabalho e às poupanças, falo-vos das férias.
Fui para a Nazaré tal como vos disse, e pedi ajuda a sítios a visitar.

Do que GOSTEI:

- De visitar o sítio, é um lugar IMENSO pelas paisagens que tem! Meu Deus.

No forte de São Miguel Arcanjo fudem-se a praia do Norte e do Sul e é notória a diferença da agitação das águas.
O Santuário da Nossa Sr.ª da Nazaré também é muito bonito, o interior trabalhado, a luz, o silêncio, e a escadaria de acesso...Adorei tudo.

- Do restaurante "ALELUIA" na avenida principal "da praia". Comesse muito bem, tudo super bem cozinhado e bem temperado. Servem em quantidade e fazem uma sangria divinal. Experimentamos sangria branca e tinta, mas recomendo seriamente a tinta.

Comemos em mais dois restaurantes da avenida principal (não retive os nomes), mas a experiência não foi boa. Passámos a frequentar apenas o Aleluia a partir do momento em que o conhecemos, os srs até nos diziam "Olá, à muito que não vos víamos" 😂. Pois almoçávamos e jantávamos. Preços a rondar os 37-45€/por refeição de 2 pessoas. P.S. marisco maravilhoso.

- Da praia. Areia limpa, sem lixos de atividade humana ou do mar. 

- Do comércio, sou encantada com pequenas coisas, e na avenida principal existem aquelas típicas lojinhas improvisadas com tudo o que são coisas e coisinhas,

- De um pintor de Rua chamado Paulo, pinta quadros em azulejo com as mãos. Isso mesmo, com os dedos, algodão e esponjas. Faz um trabalho extraordinário. Estivemos a vê-lo pintar 1 hora em pé no meio da rua com imensa gente a assistir, gostamos tanto do trabalho dele que no dia seguinte mandámos fazer um para nós. O público dá uma ideia e ele pinta o que lhe vai na alma com essa ideia. Pedimos um casal e fez uma paisagem de praia com o casal, ficou lindo.

- Da alegria das ruas. À noite via-se imensa, mas mesmo imensa gente nas ruas. (Muitas sem máscara, o que me deixava um bocadinho mal disposta). Mas as luzes, o movimento, as crianças... Tudo isso junto fez-nos lembrar a vida como ela era antes de todos os desastres do mundo ultimamente.

- De passar dias a sós com o namorado. Faz muita diferença, no conhecimento do caracter e da forma como se está na vida. Ajuda a conhecer personalidades e a moldar a nossa para nos adaptarmos. 

Do que NÃO gostei:

- Do tempo. Sério, nem um dia de sol. NADA, em 5 dias, em nenhum esteve sol aberto. PIOR, foi chegar a casa e ver um dia depois histórias no instagram de pessoas conhecidas na Nazaré e um sol maravilhoso. 😈 

- De não poder ter ido ao mercado. Juro que tentámos, mas tinha sempre pessoas, acessos limitados... Enfim, os dias eram poucos não ficávamos horas à espera.

- De não visitar a feira do livro. Estava a decorrer, mas mais uma vez, filas enormes de espera.

- Não dá para querer visitar tudo e descansar ao mesmo tempo. Fartámo-nos de andar e embora pareça tudo perto, sempre se perde horas de um lado para o outro.

- A viagem no ascensor é curtíssima 😂, mal dá para descansar as pernocas. Mas tem uma vista maravilhosa sobre a praia. 


- Um dia voltaremos -

3 comentários:

  1. Adorei. Fizeste bem em falar das férias e obrigada por isso.
    Acho que também vi esse senhor, ou um parecido. Mas por acaso não comprei nada.
    A chatice é o tempo. Nunca está assim grande sol.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Curioso que fui lá 3 dias no ano massado e também não esteve sol. Visitei muita coisa e fomos a outros sitios fora da Nazaré.
    Existem grandes Artistas de rua :)
    .
    Tudo em mim é emotivo ...
    .
    Beijos e um excelente dia.

    ResponderEliminar
  3. Não fiques triste o Verão no Oeste é mesmo assim, nasci no Sítio (há 43 anos era a maternidade que servia a minha zona) e vivo a 21 km, é preciso muuuuuuita sorte para apanhar bom tempo e bom mar.

    ResponderEliminar

Saúde

Ando à uns dias com um torcicolo, isto dói imenso, chega a dar dores de cabeça, ando cansada disto e de ter isto.