segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Autoridade Tributária - com "ela" não se brinca!


Dia 09/10/2019 

Chego a casa às 21:03min mais coisa menos coisa, tinha visto as horas no carro pouco antes de chegar.
Dia longo, portanto.

Na mesa de jantar fica o correio do dia. Tinha uma carta do meu irmão já aberta e conferida por ele e uma para mim.

Autoridade tributária (AT), pensei de imediato que seria o impresso (típico) da entrega de declaração de IRS referente a 2018.

Abri,
Coima de 63,25€ para pagar (sendo 25,00€ de valor de coima e 38,25€ de custas) com prazo legal para contestar por escrito a esta notificação ou me fazer acompanhar por advogado. Mas com a ressalva de que mesmo pagando antecipadamente a coima não era afastada a aplicação de sanções acessórias 😔

- É engano, só pode ser engano.
Primeiro o choque, claro. Depois a racionalidade.

Era finanças, então, entrei na minha página pessoal nas finanças e logo no painel inicial surge a coima de 63,25€ ao estado e uma divida de 6,42€ à Ascendi (dados da divida: valor:3,21€ + valor de encargos 3,21€).

Foi aqui que percebi que a coima em causa estaria associada a uma concessionaria de estrada. Porque na notificação da AT não fazia menção a nenhuma entidade publica ou privada. 

Logo depois, entrei no site da Ascendi, verifiquei que não tinha nada em atraso. Pelos vistos depois de seguir para a AT os pagamentos em atraso (se os houver) deixam de constar na lista de pagamentos na página da concessionária. Portanto, não consegui ver o dia e a estrada que fiz e que pelos vistos ficou por pagar.


Pelo meio da tarde, passei aqui a dizer que andava sem muito para falar, 
à noite a situação era bem diferente.


Será escusado dizer que mal dormi, nem pelo valor em si, mas pela situação, tinha o meu nome e a minha página na AT a vermelho e por uma situação que é do mais evitável que há.

Imaginem só que esta porcaria ia para penhora de ordenados e afins, sem eu saber …

Dia 10/10/2019

Procedo aos pagamentos. 08:45min.

Ligo ao apoio a cliente Acendi, 18:30min. e fico a perceber que a divida se referia a uma portagem no valor de 3,21€ de uma viagem de 07/2017.

Como já fazia registos (oh! a importância dos registos, verifiquei mesmo que não tinha pago. O estranho foi mesmo isso. Como é que não paguei e deixei isto passar em branco? Tenho uma pasta onde guardo a documentação das concessionárias, e não tinha este registo de cobrança.)

Dia 11/10/2019

Com a Autoridade Tributária não se brinca. 

Ainda tenho a página com a situação fiscal em divida, apesar de já ter pago à mais de 24horas.
Recebo uma segunda carta da AT, com a indicação de que a coima aplicada se refere a viagem na estrada x, pelas x horas no dia x/07/2017. Não sei para que perdem tempo a mandar uma segunda carta, esta informação podia perfeitamente constar na carta da aplicação de coima -.-


NOTA:
Com uma brincadeira igual, por 1€ de portagens, um colega meu pagou 295,00€, por ter tentado perceber o que se passava, demorando dias de análise e atraso em pagamento, e em cima da primeira multa (semelhante a esta que paguei no valor de 63,25€) caíram mais 2 multas da AT e num total teve de pagar 295,00€. 
Pois, eu e ele não nos podíamos dar ao luxo de brincar com a AT. E por se falar das coisas sem medo é que eu sei do caso dele e fui pagar de imediato e só depois tentar perceber, de modo a evitar que o bolo crescesse (portanto falem, não tenham problemas de falar de dinheiro, de responsabilidades, DE TUDO). Mas repito, não nos podíamos dar ao luxo de brincar com a AT, mas os grandes nomes da nossa praça brincam e ainda riem. Tudo bem. O que é que eu vou fazer? Se devo tenho de pagar.

Dia 14/10/2019, ho

Situação fiscal regularizada.

Já está tudo ok, na página da AT já surge a informação supra. O que, para mim é uma alivio, quer dizer que a coima se ficou por uma 1ª instancia e não aplicaram mais custos ao processo. Ao contrário do caso do meu colega.

Ao todo esta brincadeira custou 69,67€, não era saldo que estava previsto, mas era saldo que podia pagar e embora me custe (que custa!) enfrentei e paguei de boa, que podia eu fazer, senão isso mesmo(?). Antes nesta brincadeira que em farmácia/medicação, e não não é cliché de quem se balda as coisas e justifica com, "podia ser pior".

Não tenho via verde e não tenciono obter. Eu sei, estes casos não se repetiam, mas não pretendo, quando se justificar adquiro. 

4 comentários:

  1. Bem, que horror.
    Nunca me aconteceu mas o meu marido, por exemplo, está-se sempre a esquecer e pagar as scuts nos CTT.

    Eu "só" tive que pagar (devolver) o que me pagaram a mais do subsídio, mas também paguei mesmo à última da hora.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Acho que é dinheiro mais mal empregue é o das multas, estou sempre a tentar evitá-las, há muitas pessoas que facilitam nos parquímetros eu não, desde que uma colega para não gastar 0,30€ teve que pagar uma multa de 30€ eu nunca mais facilitei.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é mesmo!
      Eu também não sou nada de facilitar, ainda me fartei de pensar no como foi isto acontecer. :/

      Eliminar

Valor extra de ordenado - Novamente

Tal como já sabem recebo praticamente, não é certo, todos os meses um extra no ordenado. Esse valor estava desde o inicio do ano destinado a...