sexta-feira, 29 de março de 2019

Liberdade e Independência financeira são a mesma coisa? Sim, Não, Talvez?

Ainda no rescaldo do que descrevi ontem, faço hoje uma análise ao que considero que sejam a liberdade financeira e a independência financeira. É que não são a mesma coisa, nem pouco mais ou menos, embora as palavras liberdade e independência tenham conceitos muitos idênticos.
 
Então,
 
Liberdade Financeira, é quando financeiramente se está devidamente confortável para se fazer escolhas. Escolhas entre um sim e um não, consoante o que for melhor para nós e/ou família. Por exemplo, escolher mudar de emprego, para algo que, por algum motivo, gostemos mais, ou por apenas deixar um trabalho que detesta-mos e até então estávamos obrigados a fazer (para podermos pagar contas e sobreviver)…
 
A liberdade financeira, não é poder deixar de trabalhar só porque estamos "devidamente confortáveis", mas é, a partir de um determinado património acumulado, ter-se a possibilidade de fazer escolhas diferentes e mais benéficas, sem que o factor económico condicione as nossas decisões. No entanto, e podendo ter opção de escolher, a hipótese de não trabalhar não é considerada.
 
já a,
 
Independência Financeira, é quando já depois de se ter vencido a liberdade financeira (creio que algum/muito tempo depois), o património acumulado já é de um "volume" tão satisfatório que já não é preciso trabalhar. O ato de trabalhar ou não já não acrescenta à equação. Podendo faze-lo apenas como hobby e não como gerador de vencimentos... Na independência financeira, o que se conquistou é suficiente para que o estilo de vida seja mantido sem novas entradas até ao fim dos dias.

 
No meu caso pessoal, a ser realista, eu neste momento já me posso considerar em liberdade financeira, no entanto quero consolidar esta liberdade até ao final deste ano, ao mesmo tempo que começo a estudar e a iniciar os investimentos para quem sabe um dia estar a escrever sobre a independência financeira alcançada. O sonho comanda a vida não é mesmo?

3 comentários:

  1. Antes de ler, disse que sim, depois de ler, entendo o teu ponto de vista.
    Se formos a pensar em independência financeira quando vivíamos com os pais, a independência financeira é quando saímos de casa, conseguimo-nos sustentar sem o dinheiro deles. Logo, trazendo para o que falas, conseguir viver sem um trabalho.

    Também considero que, quando tinha trabalho, tinha liberdade financeira. Mas como a minha prioridade é sempre poupar, acabo por nunca escolher nada. Aliás, a minha escolha era sempre poupar =P

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Gosto das definições. :) Em especial a da liberdade financeira; é mesmo a capacidade de tomar decisões de vida que não poderiam ser tomadas se vivessemos "chapa ganha, chapa gasta". :) Eu ainda não estou lá, mas lá chegarei.

    Relativamente à independência financeira, só acrescentaria que ela normalmente implica -- mas não é obrigatório -- que se viva de rendimentos passivos, que pode ser simplesmente juros/dividendos de investimentos feitos (mas também pode vir de sites, casas arrendadas, etc.).

    Um terceiro conceito relacionado com estes é o "early retirement" (eu traduziria por "reforma cedo", e não por "reforma antecipada", já que isso no nosso país dá a ideia de que vamos na mesma viver da reforma vinda do estado), que normalmente requer a tal independência financeira. Mas penso fazer um post sobre isso hoje ou amanhã. :)

    ResponderEliminar

Da vida (atualização)

Bom, por onde começar? Isto hoje é capaz de ficar tudo baralhado, já não vos escrevo à muito tempo (2meses praticamente) e vou dar-vos as úl...