terça-feira, 19 de março de 2019

A nossa força de vontade é incrivel!

Porquê o caminho da poupança em detrimento de ter seguido a vida como levava?
 
Eu era consumidora! Era sim, todos os meses comprava alguma coisa. Uma camisa, uns sapatos, uma mala, um casaco, era sempre qualquer coisa que olhava e dizia "faz-me falta". E não fazia. Tenho consciência que gastei muito dinheiro assim. Em contrapartida, hoje consigo viver mais 10 anos sem ter de comprar nada. Sem exagero. (de roupa e calçado, pelo menos).
 
Eu não consigo precisar muito bem quando me deu um click inicial. A minha vida mudou com a virada do ano de 2016 para 2017. Deixei um emprego estável mas péssimo por um novo trajeto profissional. Com a saída do antigo emprego tive direito a receber pendencias monetárias, como subsídios de férias, subsidio de natal, dias de férias que devia ter gozado e me pediram para trabalhar, dias uteis do ultimo meio mês de trabalho e, claro, tudo somado deu um valor agradável. O que é que eu fiz? Abri uma conta poupança, a tal tão abordada por aqui. Não com o valor total, apliquei na poupança 85% do que recebi, e também não abri a poupança logo assim que recebi, só a registei em julho de 2017.
 
A partir desse momento, e porque achei optimo o valor que tinha em conta, o poupar mensalmente foi uma constante em 2017.

Fui-me propondo valores por níveis.

Em 2017 quis poupar 1000€ ao longo dos 12 meses. Essa decisão foi tomada em Dezembro de 2016, e quando abri a poupança (c/ o valor da demissão) esses 1.000€ já estavam a ser juntos, passando depois a entrar como reforço até ao final do ano.

Em 2017 decidi que 2018 seria o ano dos 2.000€, e em junho tinha esse valor.

É fácil porque estou em casa dos meus pais, sim é verdade. Facilita em muito.
O meu ordenado não é alto e obriga-me a gerir da melhor forma que posso. Neste momento tenho 2 part-time's a dar pouquinho, mas sempre é qualquer coisa.
A ter uma casa minha não fazia os valores mensais que faço de CERTO. Mas obrigo-me todos os meses a pagar a conta de tv+internet+telemovel (que a par da de eletricidade é das contas mais caras) e compras diversas de alimentação e/ou higiene.

Mas a chave foi o ter mudado comigo:
- Não almoço fora;
- Cabeleireiro vou de 3 a 4 vezes por ano e pago 8€/vez;
- Depilação e unhas faço em casa;
- Deixei de comprar vestuário;
- Tenho mais cuidado com o que como e bebo por causa da saúde da pele;
- Faço limpezas de pele em casa;
- Faço trezentas mil contas por mês.
- Não saio todos os fds, ou fazemos programação em casa de amigos de modo rotativo.
- Escolho por semanas o presente "perfeito" para aniversários a que vou e de família.
- Vou ao cinema num dia e hora especifico/a do fds, porque me sai mais barato.
- Faço programas mais perto de casa e saio para longe nas férias, apenas.
- Faço desporto em casa e com amigos sem pagar ginásio.
- Evito, em dias de stress, ir a sites de vendas e/ou lojas físicas. Sei lá, no meio do desvario ainda podia cair em tentação… A pessoa não é de ferro.

mas,

- DEUS ME LIVRE, da mania dos brincos!!!!! esta eu não consigo largar!!! Ainda! (e em março gastei uns 23€ nesta PRAGA)

Ou seja, comigo, comigo eu gasto muito pouco, ou em determinados meses, não gasto mesmo nadinha! Não à receita para isto, apenas a consciência de que queria ter dinheiro, não coisas. E o ponto foi esse, mudar a mente, a disciplina e aplicá-la. Quando se coloca uma coisa na cabeça, mesmo com propósito e intenção, senhores, a nossa força é incrível.

5 comentários:

  1. O mais difícil sempre é mudar a mentalidade!
    Com isso feito a coisa torna-se simples e quase automática!
    :-)

    ResponderEliminar
  2. Pouco a acrescentar, excepto "muito bem!" :) Como a Maria Assalariada sugere acima, o importante não é tanto mudar gestos, mas sim a atitude -- só assim é que a mudança de gestos se torna permanente e natural. Melhor ainda é não teres tido de passar dos 40 para ganhar juízo. :)

    Curiosamente, também me comecei a interessar por estas coisas lá para 2016, se bem que só comecei o OO em 2018.

    ResponderEliminar
  3. Grão a Grão... enche a galinha o papo!! Parabéns eu acho que o dificil é começar

    ResponderEliminar
  4. Muito bom, mesmo!
    Eu nunca fui de consumir. Sempre fui de poupar.
    Infelizmente, passo mais tempo desempregada do que a trabalhar.

    Agora com a casa, poupo muito pouco, mas tento poupar. Claro que só dá quando não há aquelas "surpresas" nada agradáveis.

    Nunca comprei muita roupa, não tenho nenhum acessório para usar, tipo fios ou pulseiras (mas tenho que investir nisto), não tenho 50 coisas de cada e uso tudo até à exaustão.

    Beijocas

    ResponderEliminar

Da vida (atualização)

Bom, por onde começar? Isto hoje é capaz de ficar tudo baralhado, já não vos escrevo à muito tempo (2meses praticamente) e vou dar-vos as úl...