terça-feira, 16 de outubro de 2018

Desafio - Dia 16 ☝☝



Sou sempre a favor do, não sabes, pergunta. 
Mas não o aplico sempre.

Medo do erro. Será culpa do meio em que se cresce e se se torna adulto? Ou é nossa? É nos exigido um foco diferente do de outras gerações. Também nos é posto quase tudo nas mãos (e o ato do desenvencilhar-se por si não é eficazmente transmitido). É depois, quando nos cai a ficha, que fica difícil a volta. Ou a reviravolta.

E dizer-se que "estou aqui", sou capaz e vou fazer? não é fácil dar a volta a incertezas que vão surgindo pelo caminho. Se a sociedade exige que sejamos focados e exímios é preciso soltar asas e erros no percurso, correto? Então porque nos é, desde cedo, incutido que o erro é algo desastroso, que te desvalorizará enquanto pessoa/profissional? Que o erro é dos que não conseguem fazer nem nunca conseguiram… Dos que não se esforçaram o suficiente!?
De quem é a culpa desta desordem do "pergunto ou não?". Se é que há culpados.

4 comentários:

  1. Olá,

    É verdade o que dizes... eu costumo dizer que não pergunto nada, vou ao google e depois falo com conhecimento de causa :))

    Beijinhos
    Margarida

    https://minhacasadopatio.blogspot.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hehehe essa é boa, Ir ao google primeiro :)
      O certo é que muitas vezes, ajuda :)
      Beijinho Margarida

      Eliminar
  2. Tocas aí em pontos chave.
    É exigido mundos e fundos e parece que depois é proibido falhar ou mostrar fraqueza.

    Beijocas

    ResponderEliminar

Da vida (atualização)

Bom, por onde começar? Isto hoje é capaz de ficar tudo baralhado, já não vos escrevo à muito tempo (2meses praticamente) e vou dar-vos as úl...